Neste blog, vou passar fazer todo aquele trabalho que habitualmente tenho vindo a distribuir por vários blogs. Dar descanso aos velhos....

11
Jun 18

34532235_1935292769836459_6327309021187407872_n[1]

Quando vi a noticia e a foto anunciar a morte do Padre Marco Paulo não associei a noticia aquele Marco Paulo com quem na Bajouca tomei alguns cafés com ele e o Sr. Padre Abel no Café do Virgílio Sousa. Mas horas depois vi confirmado o que desejava não fosse verdade. O jovem sacerdote tinha aparecido morto, no dia 07/6, algures para os lados de São Pedro de Moel. Dele só se ouve dizer bem e motivos que expliquem tão inesperada fatalidade não existem.

img_757x498$2018_06_08_21_23_40_745873[1].jpg

Natural de Monte Redondo, mais concretamente do lugar das Lavegadas, o padre Marco Paulo da Silva Brites, nasceu a 15 de Abril de 1980 e foi ordenado sacerdote em 2007 por D. António Marto. A paroquiar a freguesia da Maceira, este ainda jovem sacerdote, era muito estimado e querido por todos os paroquianos que o respeitavam e viam nele um verdadeiro pastor e amigo sincero. Supõem alguns que tenha sido assassinado, já que deixou carro, documentos e telemóvel em casa, o que vai fazer a Polícia Judiciaria ter que se debruçar a sério sobre este assunto, mas suicídio também me não parece que o padre Marco Paulo tivesse motivo para praticar tão disparatado ato.

img_757x498$2018_06_08_21_23_43_745875[1].jpg

O saudoso extinto que foi a sepultar no dia seguinte à sua morte para o cemitério de Monte Redondo (Leiria) era muito popular e gostava de acompanhar os jovens, sobretudo os escuteiros do agrupamento 762, de que era dirigente, nas suas saídas à noite. O certo é que a diocese de Leiria/Fátima perdeu um sacerdote que como os demais faz muita falta. Que sirva também para ter presente a fraternidade sacerdotal que se deve ver evidenciada no que diz respeito ao amparo e acompanhamento dos sacerdotes nas suas dificuldades e o que também muitas vezes não se verifica. Os bispos têm de saber rodear-se de bons e perspicazes sacerdotes que os ajudem a bem conhecer os fieis e quem nas paróquias os representam de modo a escolher o mais capaz para cada situação. É isso que pede e quer o Papa Francisco, e os bispos em comunhão com ele também. Que no céu te lembres dos amigos.

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 13:58

02
Jan 18

DSC01716.JPG

Faleceu com 90 anos de idade o Sr. Agostinho Gomes da Silva, casado com  D. Maria de Oliveira e Silva e pai de Manuel Agostinho da Silva, José Madail de Oliveira Gomes da Silva e de Luísa Maria de Oliveira Gomes da Silva Tomás.  O seu funeral muito participado ocorreu hoje, dia 2, após missa de corpo presente, às 11h00,  da igreja paroquial de NS da Piedade de Monte Redondo (Leiria) para o cemitério local. A todos os familiares do saudoso extinto, em particular a seu filho, o Mor-Silva, também conhecido por “Manelito” os meus sinceros pêsames. Que  descanse em paz.

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 20:22

23
Jun 17

fotografia-ricardo-gracaarquivo79adcfa5[1].jpg

Foi hoje a sepultar no cemitério de Monte Redondo (Leiria) um monte-redondense notável, o Sr. Leonel Pontes. Figura popular que se distinguiu no desporto, na política e nos serviços públicos da pátria de Rodrigues Lobo, e muito para além dela. Natural daquela freguesia e paróquia do concelho leiriense, e residente na cidade, o  conceituado técnico oficial de contas (TOC), era casado com Maria de Lurdes Bajouco Pinto da Costa Pontes e pai de Sérgio Leonel da Costa Pontes e Lurdes Catarina Pinto da Costa Pontes. Com missa de corpo presente muito participada, às 11h00,  o préstito constituiu  uma verdadeira prova do respeito e admiração de que gozava o saudoso finado que a parca ceifou do mundo dos vivos aos 67 anos. A toda a Exma. Família os mais sentidos pêsames.
 

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 17:30

11
Mar 17

DSCN1111 (2).JPG

 Faleceu em Leiria, o saudoso Dr. Seabra Pinto, médico que durante muitos anos exerceu de forma muito empenhada e também altruísta a sua nobre profissão. Natural de Meruje, Oliveira do Hospital, foi entretanto na região de Leiria que optou por desempenhar a sua actividade clínica e fixar residência. Conheci-o ainda como tradicional “João Semana”, ora no consultório, ora a visitar os acamados na e à volta de Monte Redondo. Humanista e muito social com ele convivi por várias vezes, algumas em petiscadas. No “Canas” de Monte Redondo e no Ramiro do Pedrógão. Embora mantendo o consultório, em Monte Redondo, passou também a fazer parte do corpo clínico das Termas de Monte Real com o Prof. Dr. Frederico Teixeira e Dr. Simeão Ferreira, e deixou de ter menos vagar para convívios. A ultima vez que falei com ele, foi no Ramiro, onde o encontrei com o Sílvio Soares na petisqueira. É daquelas figuras que deixa rasto, porque esteve sempre no que fazia, e fazia sempre o que devia. Deixou um vazio e muitas saudades no coração das almas agradecidas que tiveram nele um zeloso defensor da saúde física dos seus doentes e amigos, muitas vezes em prejuízo da sua própria saúde como era norma dos tradicionais médicos das vilas e aldeias provincianas. Ainda que por casamento estivesse ligado a conceituada família leiriense, agora que a parca o veio retirar do mundo dos vivos, com 88 anos, o Dr. Seabra quis regressar à terra que o viu nascer, juntando os seus restos mortais aos dos familiares que repousam no cemitério de Meruje, para onde partiram hoje, dia 11, da Capela Mortuária de Leiria após as cerimónias fúnebres às 11h00. A toda a Exma. Família enlutada os meus sentidos pêsames. Que descanse em paz.

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 22:19

Dezembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO