Neste blog, vou passar fazer todo aquele trabalho que habitualmente tenho vindo a distribuir por vários blogs. Dar descanso aos velhos....

05
Mar 16

barroso_da_fonte.jpg

Tem as suas vantagens, mas também os seus quês…Na troca de mensagens online com o meu distinto comprovinciano Barroso da Fonte calhei descobrir uma mensagem que por certo nunca pensou me viesse ao conhecimento, mas veio. O seu conteúdo prende-se com uma distinção que enobrece este insigne barrosão e de um modo geral todos os transmontanos e portugueses amantes da sua Pátria. Que me desculpe e perdoe esta abusiva atitude, mas ficava pesaroso se não torna-se púbica esta distinção. Parabéns.
“De: João Barroso da Fonte <barrosodafonte@gmail.com>
Data: 3 de março de 2016 às 12:32
Assunto: Re: LISTA ALTOS DIGNITÁRIOS
Para: Ordem de Ourique <ordemdeourique@netcabo.pt>
Distinto Amigo e Ilustríssimo Transmontano Dr. Abel de Lacerda Botelho: com as mais sinceras saudações venho acusar a recepção e agradecer a relação dos dignitários da Fundação a que preside e ao mesmo tempo manifestar-lhe a minha gratidão pela honra que me deram de ser incluído nessa honrosa lista com tão gratificante simbolismo. Nunca me passou pela cabeça ter um dia este dom de Grão-Prior, depois de ao fim de dez anos de seminário nem a tonsurado chegar. Agradecendo ex corde, tudo farei para cumprir as funções para que fui designado (penso que até eleito), mesmo sabendo que foi o meu Ilustríssimo Amigo a propor-me para esse Cargo.
A minha gratidão e solidariedade para com todos os Confrades da Ordem de Ourique. Barroso da Fonte.

ORDEM DE OURIQUE
Associação Promotora de Portugalidade – Ordem de Ourique
Sócios Beneméritos:
Fundação Lusíada
Sócios Honorários:
Sua Eminência Reverendíssima Bispo Emérito de Bragança – D. António José Rafael
Sua Eminência Reverendíssima Bispo de Beja – D. António Vitalino Dantas
Sua Eminência Reverendíssima Bispo Emérito de Lamego – D. Jacinto Botelho
Prof. Dr. Gerardo Mello Mourão – Brasil – (fal.)
Dr. Nestor Biglieri – Itália
Dr. João Barroso da Fonte
Câmara Municipal de Castro Verde”.
…………………….

 

 

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 17:37

26
Mar 15

achaves 010.JPG

          Pessoa amiga mandou-me uma mensagem na terça-feira, dia 24, a segredar: “o Dr. Barroso da Fonte vem amanhã a Lisboa, para assistir à apresentação de um livro de Carneiro Chaves. Vem e vai de comboio no mesmo dia”. Logo procurei averiguar a hora e o local onde pudesse ver e dar um abraço ao amigo e barrosão ilustre. Procurei entrar no site da Âncora Editora que de pronto me deu a noticia desejada: apresentação do livro A Última Estação do IMPÉRIO, de António Chaves, com a participação do Dr. João Barroso da Fonte, pelas 15h00, no IASFA-Cooperativa Militar, Rua de São José, 24, Lisboa.

achaves 003.JPG

          Como é de calcular aquela hora lá estava eu naquele selecto espaço, já meu conhecido, aguardando que o distinto transmontano que tem Guimarães por segunda terra berço aparecesse e lhe dar um amistoso abraço. Também para mim não foi o melhor dia, às 17h00 tinha forçosamente que abandonar a tertúlia e por isso sem hipóteses de fazer companhia ao prezado amigo uns momentos mais.Mas valeu a pena esta minha deslocação ao centro da capital, onde para além do abraço que dei ao Dr. Barroso da Fonte, fiquei a conhecer pessoalmente o Dr. António Carneiro Chaves, e o Coronel Golias, outro daqueles nomes que honram a região transmontana e Portugal

achaves 005.JPG

          No livro que tem a colaboração de Barroso da Fonte, António Chaves faz uma descrição histórica, séria e imparcial do que foi guerra colonial em Angola, onde estes dois notáveis barrosões foram militares. Trata-se de um trabalho digno de ser conhecido e divulgado pois nos dá uma visão mais clara do que foi a chamada descolonização portuguesa. António Chaves é um barrosão fervoroso que nasceu na aldeia de Negrões, concelho de Montalegre, a 20/11/1943. É licenciado em Economia, e obteve o grau de mestrado em Economia Europeia no Instituto de Estudos Europeus da Universidade Livre de Bruxelas. Durante a sua permanência na Bélgica foi correspondente da RTP e do jornal O Público.

sem nome.png

          Autor de diversos trabalhos da sua especialidade, e muitos divulgados em jornais, o Dr. António Chaves foi docente do ensino superior na área de Gestão e Marketing Internacional durante mais de duas décadas e trabalhou como consultor com as mais destacadas empresas de serviços na área de gestão e formação de gestores, directores e quadros superiores de empresas. Forma com Bento da Cruz, Barroso da Fonte e o Padre Lourenço Fontes um dos mais notáveis padrões da intelectualidade transmontana e em particular das figuras nascidas na região de Barroso.

achaves 007.JPG

           Integrado no PROGRAMA FIM-IMPÉRIO que tem a chancela da Âncora Editora, este livro foi mais um exemplar dos que estão em mira e procuram fazer a história recente e passada do que foi o Portugal Imperial até ao 25 de Abril de 1974. Destaco aqui, louvo e  admiro, o dinamismo do administrador desta Editora, o Dr. António Baptista Lopes, pelo apoio que presta aos seus clientes, autores, acompanhando-os em momentos nobres como este. Nem todas as editoras tem homens destes, e por isso nem todas tem os êxitos da Âncora.

 

 

 

 

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 16:28

20
Fev 15

13514.jpg

          Três barrosões ilustres que nos bancos escolares da Igreja receberam formação cristã. Bento da Cruz, nos beneditinos, em Singeverga; Barroso da Fonte, no Seminário de Vila Real; onde, o Padre Fontes estudou e concluiu a sua formação sacerdotal. Amigos e conterrâneos, cada um seguiu a vocação com que foi dotado. Só no amor à terra e às letras a vocação é comum, sem que nada os distinga que não seja o género ou estilo de escrever. Dos três, Bento da Cruz é o mais maduro, nasceu em São Vicente da Chã, Montalegre, a 22 de Fevereiro de 1925. Na mesma data, mas em 1940, nasceu também em Cambezes do Rio, concelho de Montalegre, o Padre António Lourenço Fontes. Vem isto na sequencia do que escrevi à volta do aniversário do Dr. Barroso da Fonte, onde também envolvo estes dois conterrâneos seus. No role do meu relacionamento pessoal não consta o nome do distinto médico e insigne escritor Dr. Bento da Cruz, que sei pessoa generosa conhecida pelo serviço prestado aos pobres a quem não levava dinheiro aquando da sua estadia como clínico na aldeia de Pisões.

5858568_5Cqgv.jpg

          Do Padre Lourenço Fontes, sim, boas recordações e relacionamento amistoso. E muitos dos seus trabalhos fazem parte do meu banco de dados onde constam os livros de consulta. Etnografia Transmontana é a bíblia dos costumes ancestrais das terras de entre Larouco e Marão. Zeloso no cumprimento e respeito pelos deveres aderentes ao seu múnus sacerdotal, o Padre Fontes movido por um amor desmesurado às origens e às gerações que povoaram e povoam a Terra Fria, consegue tempo para se dar à pesquisa e arrolamento dos usos e costumes que marcaram e caracterizam o povo barrosão. Sem deixar cair a sua dignidade de sacerdote, com a sua intervenção em eventos de carácter cultural e pedagógico, como os Congressos de Medicina Popular de Vilar de Perdizes, o Padre Fontes abriu as portas aos estudiosos interessados no conhecer a verdade de muitos mitos e fenómenos que povoam a mete de muitas almas. Depois porque sabendo que a ignorância é a maior inimiga da fé cristã, a sua relação interventiva nestes eventos de índole paranormal são uma mais valia no esclarecimento de muitos dos “fenómenos” de que muitos “artistas” se servem para iludir os crentes na magia negra….Um sacerdote, um homem de cultura, um transmontano barrosão que muito admiro e hoje felicito por mais um seu aniversário. Muitos 22 de Fevereiro !

 

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 10:47

Dezembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO