Neste blog, vou passar fazer todo aquele trabalho que habitualmente tenho vindo a distribuir por vários blogs. Dar descanso aos velhos....

11
Mar 18

17804140_0eVKv[1].jpg

O meu saudoso amigo Sr. António Rosado era um daqueles alentejanos que não se envergonhava de ir à missa todos os dias e até ajudar nas leituras e o mais que necessário fosse. Por muitas vezes o vi na igreja de São Domingos na baixa de Lisboa, nessa ocupação, assim como na minha companhia o vi nas “romarias” de Maio em honra de Nossa Senhora do Cabo Espichel que anualmente o Novo Horizonte costuma organizar.

DSC02119.JPG

Deixou-nos vai para 4 anos, foi a 02 de Dezembro de 2014. E nessa data a viúva, Srª. D. Joaquina Rosado, manda sempre todos os meses encomendar uma Missa por sua alma na igreja de São Domingos, e eu quando posso, faço por tomar parte nesse ato eucarístico. No passado dia 2, sexta-feira, pese o tempo não ter estado convidativo lá fui com muita alegria cumprir esse dever de cristão e também de gratidão para com quem em vida soube cativar a amizade e o respeito dos seus amigos.

DSC02116.JPG

Era um daqueles dias em que durante a Quaresma evito tomar café a pensar naqueles que por falta de posses também o não podem tomar. É também por isso que a Igreja recomenda o jejum aos seus fieis. Mas nesse dia quebrei o jejum e vai de fazer companhia a quem tem outras opções, que não as minhas, para dar resposta às propostas da Santa Igreja para este tempo de penitência. Na foto temos o Sr. Rosado, com a filha Anabela, em dia de aniversário, após a missa das 12h00 na igreja de S.Domingos que festejou na Casa do Alentejo. Foi o ultimo que comemorou no mundo dos vivos.

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 13:34

04
Dez 14

C:\Users\utilizador_2\Pictures\2014-12-02 sacri\04

Nas procissões da cidade, o Sr. Rosado, carregava sempre com a cruz

          Faleceu na passada 3ª-feira, vitima de doença prolongada, o Sr. António Joaquim Fernandes Rosado, pessoa muito estimada por todos que de perto com ele privavam ou tinham vulgar relacionamento. Conheci-o casualmente quando um dia, já distante, travei conversa com ele no inicio de uma palestra a que ambos fomos assistir no Colégio Planalto. No final trocamos impressões à volta do tema a que assistimos, e a partir daí ficamos amigos para sempre. Natural de Alfundão (Ferreira do Alentejo), onde nasceu a 07 de Fevereiro de 1936, este alentejano de gema casou na Baronia (Alvito), terra de sua esposa e que passou também a ser a sua, embora muito cedo Lisboa fosse a terra escolhida para residência do generoso casal.

C:\Users\utilizador_2\Pictures\2014-12-03 rosad\ro

           Daqueles alentejanos que fazem luxo em não deixar as esposas irem sozinhas à igreja, o Sr. Rosado serviu não só a comunidade cristã do seu bairro, mas também aquelas por onde passou e o seu labor generoso e voluntário deixou rasto. Na Baronia, serviu como membro da Comissão Fabriqueira, na paroquia de Santa Justa (Baixa Chiado) como ministro da Comunhão que durante muitos anos vi exercer todas as manhãs na igreja de São Domingos.

C:\Users\utilizador_2\Pictures\2014-12-03 rosad\ro

          Fervoroso devoto de São Josemaria Escrivá, esteve comigo no Vaticano aquando da sua canonização. Momentos bons que com este saudoso amigo desfrutei, aquela visita à Baronia, as “romarias” ao Cabo Espichel, a Fátima, o 2º domingo de cada mês, em que havia recoleção, são peças soltas que hoje recordo e certamente devem ter servido de escada, com o sofrimento que com resignação aceitou, para neste Advento e “novena” da Imaculada mais rápido entre no reino.

C:\Users\utilizador_2\Pictures\2014-12-03 rosad\ro

           De louvar o acompanhamento moral e espiritual que o Padre Vitor Gonçalves deu a este amigo, que na igreja de São Domingos, onde ele é pároco, o Sr.António Rosado com muito zelo e empenho foi voluntarioso colaborador. Não sendo a sua paróquia, nem por isso os afazeres ao serviço da Igreja e dos fieis, impediram o Sr. Padre Vitor Gonçaves de arranjar um bocadinho de tempo para que ao Sr. Rosado não faltasse a sagrada comunhão, durante a semana, assim como agora, no dia do adeus terreno, vir ao Bairro da  Serafina, celebrar missa de corpo presente e encomendá-lo para Deus. Acto bonito, de amigo. Também perdi um amigo na terra, mas ganhei-o em bom lugar. Um homem de fé.

À esposa, D. Joaquina; às filhas, Ana Bela e Silvéria Rosado e demais família em luto, os meus sinceros pêsames.

 

 

 

 

 

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 18:38

Dezembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO