Neste blog, vou passar fazer todo aquele trabalho que habitualmente tenho vindo a distribuir por vários blogs. Dar descanso aos velhos....

28
Out 17

6MNHKNXH.jpg

Assenta bem no meu sistema de transmitir noticias para quem me lê e cuja formula mantenho   acerca de sessenta anos e que George Orwell, citado por Ray Kerrison no New Yok Post, como em Tempo Caminhado, de 18 do corrente li, retrata:  "Jornalismo é publicar o que algum não quer ver publicado. Tudo o mais são relações publicas ".

O ter jornais que defendem, ou pelo menos não denunciam uma situações gritantes que como o caso "Marquês" ou mantém um governo que governa sem ganhar eleições não pode considerar-se estar a ser servido por jornalistas empenhados na profissão que desempenham. São mais jornalistas corruptos e comentadores comprados. Diria em defesa de um governo medíocre. Um governo que foi preciso um puxão de orelhas do PR para vir a publico pedir desculpa aos portugueses, em especial as famílias de mais de 100 vitimas mortais que perderam a vida este ano nos incêndios que por incuria dos políticos que temos perderam a vida. Mas só o fez nestes termos arrogantes :  "Se me querem ouvir pedir desculpas, eu peço desculpa". Mais fundo viu o jurista Nuno Botelho quando comentou: " É  aí­ que, acho, impende uma espada a António Costa que necessariamente o vai levar a actuar. - Este "levar a atuar " refere-se ao Presidente Marcelo Rebelo de Sousa.  E adianta: que  "se quebrou a relação de confiança entre o estado e os cidadãos. Se pensarmos bem os actos terroristas, este ano, na Europa fizeram menos mortos que Pedrogão e o último domingo juntos". Pois, mas nesta altura ainda não existe na oposição que mereca a inteira confiança do eleitorado. Há-de aparecer, e bem falta faz.

Uma das artimanhas de António Costa tem sido descarregar as responsabilidades da governação para cima dos titulares das pastas ministeriais e das instituiçóes, como que ele, a fazer de primeiro-ministro, não tenha culpas nos erros que acontecem e dão de Portugal a pior imagem. O facto é que à  volta dos fogos e das mortes que provocaram foram criados mais uns postos de trabalho para os amigos da confiança de António Costa. Demite-se a Constância, entra o Cabrita, e atrás dele mais uns tantos camaradas em ascensão. O povo é pacifico e de má memoria.

 

 

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 21:52

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
17
18
20
21

22
23
24
25
26
27

29
30
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO