Neste blog, vou passar fazer todo aquele trabalho que habitualmente tenho vindo a distribuir por vários blogs. Dar descanso aos velhos....

12
Dez 18

18428855_5gCoR.jpg

Do Poeta e prosador João de Deus Rodrigues recebi este poema alusivo à epoca festiva, que transcrevo:

Aproxima-se o Natal

Oh!, quem me dera, Senhor,
Ter outra vez o Natal da minha mãe.
Quando ela me falava com amor,
Dos mistérios e encantos que ele tem.

Oh!, quem me dera, Senhor,
Ter outra vez o Natal que a memória tem.
Quando em família cantávamos com fervor,
Canções ao Menino e á Virgem, Sua mãe.

Oh!, quem me dera, Senhor,
Que o Natal fosse outra vez assim,
Como quando eu era menino!
E junto à lareira, lembro-me bem,
Aconchegados que era um regalo,
Cantávamos canções de Natal.
E à meia-noite íamos à missa do Galo,
Onde beijávamos o Deus Menino,
Como se Ele fosse tão verdadeiro,
Como era aquele que os anjos
Anunciavam aos pastorinhos em Belém,
Como me contava a minha mãe!

Oh!, que bom seria, meu Deus,
Se neste Natal que se aproxima,
Não houvesse irmãos meus,
A dormirem no cais, junto ao rio,
Abandonados e sozinhos,
Com fome, sede e frio!

E mais além,
Não se visse tanta criança,
A chamar pelo seu pai,
A clamar pela sua mãe,
E não lhes aparecer ninguém,
Para lhes dar um beijo paternal.
Nessa noite mística de Natal,
Símbolo do nascimento de Jesus em Belém.

In Livro “O acordar das emoções” – Tartaruga Editora.


 

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 22:31
tags:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Dezembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
14
15

16
17
20
21
22

23
25
26
28
29

30


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO