Neste blog, vou passar fazer todo aquele trabalho que habitualmente tenho vindo a distribuir por vários blogs. Dar descanso aos velhos....

23
Jul 15

São Tiago.jpg

É já amanhã que os romeiros de São Tiago sobem ao Monte Farinha para festejar o dia do “Santinho”, 25 de Julho. O que dantes era fazer a escalada do mais famoso miradouro do norte de Portugal durante a noite e madrugada dentro, hoje ficasse pela vila, que para o efeito criou atrativos mais sedutores do que o trepar do monte oferece. Depois, o subir ou não o “Iteiro” é assunto que depende da Fé do romeiro….Interessa é promover e promover-se…

FOTOS FERIAS AGOSTO 2009  2 184.jpg

Também no dia 02 de Agosto, a Volta que em 2009 passou pelo centro de Vilar de Ferreiros, este ano, uma vez mais, vai levar os ciclistas ao alto da Senhora da Graça, mas Vilar também uma vez mais fica para encerramento da prova….Os coelhos também precisam de ver dar ao pedal.

 

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 16:31

31
Mai 15

 

7879463_ln0oJ.jpg

Se fosse vivo fazia no próximo dia 05 de Junho 94 anos que nasceu em Fajozes, Vila do Conde, um dos grandes beneméritos do Santuário de Nossa Senhora da Graça, o Dr. Primo Casal Pelayo. “Figura generosa e despida de vaidades humanas, o Dr. Primo Pelayo ao empenhar-se pela defesa dos direitos  históricos e jurídicos de Vilar de Ferreiros ao Santuário de NS  da Graça, acabou por prestar também um importantíssimo serviço a toda a região de Basto, mormente ao concelho de Mondim, uma vez que revelou fontes e documentos históricos que até aí eram desconhecidos de todos os estudiosos locais”. Conheci-o nos princípios da década de sessenta e tive a felicidade de o ter por grande amigo e mestre no relacionamento com a História, nossa e universal. Homem de uma só palavra, e de um sim, sim, e de um não, não. O que fez dele uma figura muito típica e admirada.

004.JPG

Como jurista, como professor e como historiador, Primo Pelayo fica na historia da região de Basto por trabalhos soltos, mas sobretudo pela sua obra A Ermida do Monte Farinha, assim como na de Vila do Conde pela monografia de Fajozes. Mas de forma muito sentida fica eternamente na memória dos alunos de que foi formador no Colégio de São José, de Vila do Conde, e no Externato Latino Coelho, em Lisboa, de que foi director e proprietário. Neste capitulo recordo a generosidade com que nos finais da sua vida terrena um desses seus discípulos lhe prestou o apoio de que carecia para acabar com dignidade a sua peregrinação por este vale de lágrimas. A minha homenagem também ao José Godinho e sua dilecta esposa. Este mundo está cheio de gente boa e de nobres corações.

 

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 15:56

28
Mai 15

cartaz 2015 (1).jpg

          Mais uma daquelas iniciativas da Junta de Freguesia de São Cristóvão de Mondim de Basto dignas de louvor e apreço dos fregueses, vizinhos e amigos. Desta vez é mais uma “Caminhada” por caminhos e atalhos dos montes Farinha, invadindo pacificamente, em passeio de cultura e desporto, território alheio, mas com o bom propósito de dar a conhecer a beleza paisagística da nossa “montanha sagrada” que separa Atei de Vilar de Ferreiros. Em vez da Fonte Salgueiro o inicio da Caminhada junto ao cruzamento da Pedra Alta tem lógica, pois não impede o acesso ao transito para a Senhora da Graça que nesse dia 10 de Junho deve ser maior. O ponto de encontro é em Mondim, junto à sede da JF, e a saída para o Monte Farinha é às 09h00. Ás 09h30, inicio da Caminhada, e às 10h00, Mata Bicho / Café no Pote (Campo do Seixo). Às 12h30, fim da Caminhada (Previsto).Ás 13h00, almoço (opcional). Às 17h00, fim da jornada. Que não seja pelos  "os 5 Montes Farinha" que perdem ocasião de um passeio destes. Que pena a minha.

 

 

 

 

 

 

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 21:39

15
Mai 15

11130235_379086938965424_700412015043799634_n.jpg

"Iteiro da Senhora", do lado sul.

Quem ainda não perdeu a memória dos bons e maus tempos doutrora, recorda-se por certo das festas e romarias que no Monte Farinha faziam a delícia do povo de Basto sempre que era chegada essa ocasião. Por caminhos e atalhos, na véspera ou no próprio dia, era um ver subir os festeiros monte a cima, de farnel na giga ou na “saquita”, apressados para não faltarem à missa e ao sermão da festa. Cumprido o dever de cristão para com Nossa Senhora da Graça cuidava-se então do estômago e vai de estender a toalha e abrir o farnel.

itei 001.jpg

Santuário com a fachada para poente

Os arraiais e as tardes tinham as bandas de música para animar; e pelo Santiago também os arraiais de porrada tinham fama e proveito, rezam as crónicas. Mas é da festa da Ascensão que quero falar porque tenho à mão um programa de 1964 que gostava de ver os meus amigos compara-lo com o mais atual. No velho programa, constava: “ FESTA DA ASCENSÃO – NO- Santuário de Nª Sª da Graça – EM- MONDIM DE BASTO – Domingo, 10 de Maio de 1964. Confissões: das 8 às 9 horas e das 10 às 11, 30 horas. MISSA REZADA: ás 10 horas. MISSA CANTADA: às 12,30 horas. Sermão por um distinto Orador Sagrado. No final – Procissão. Abrilhantará a Festividade a BANDA MONDINENSE. Freguesia de Vilar de Ferreiros do Concelho de Mondim de Basto. Subi, em oração, Povos de Basto ao Alto do Monte Farinha. (Tip. Moderna-Celorico de Basto -200 ex.25-4-964)”.

001.jpg

Altar-mor do santuário

No deste ano que vai ter lugar no próximo domingo, dia 24, além dos pontos de reflexão propostos a cada uma das paróquias do Arciprestado do Baixo Tâmega, o programa reza: “ 24 de Maio 2015. Festa da Ascensão e Pentecostes. Peregrinação anual do Arciprestado do Baixo Tâmega. Festa da Família. Programa: 08:00h Missa. 09.00h Inicio da Caminhada (Fonte Salgueiro). 10.00h Inicio da Procissão com Andor de NªSª da Graça no Largo de S. Tiago. 11.00h Missa Solene presidida pelo Padre José Carlos. 12.15h Procissão de Encerramento e Adeus à Virgem. A Liturgia fica ao encargo da Unidade Pastoral de Ribeira de Pena. Alto do Monte Farinha. Vilar de Ferreiros – Mondim de Basto”.

18410154_f0pw0.jpg

Adro-esplanada nas traseiras do santuário

Pela minha parte confesso que em relação ao tempo em que a Festa da Ascensão era festejada com foguetes, musica e promessas de amortalhados em caixão, as festas actuais por muito que tentem deixam muito a desejar, mesmo que o objectivo seja dar-lhe uma configuração mais piedosa e conforme com a fé cristã. A verdade é que não cativa a maioria dos fieis e devotos que sobem ao Monte Farinha. Sobem alegres e descem desacorçoados, quando para alegrar o ambiente, Mondim tem uma Banda Filarmónica; Vilar de Ferreiros, os ranchos de Vilar e Vilarinho, os Bombos, além dos respectivos grupos corais da paróquia.

18410585_JjfFU.jpg

Panorâmica recolhido de santuário sobre a aldeia de Vilar de Ferreiros

É preciso ocupar este pessoal, pois só assim os peregrinos e romeiros de Nossa Senhora da Graça percebem que são bem acolhidos e por isso forçados a serem generosos. Quem parece não ser muito generosa é a EDP que continua a negar a electrificação publica ao recinto do Santuário. Que não seja chantagem por causa de Fridão….O concelho tem muito onde economicamente se destacar, turismo, floresta e energia eólica se todo bem explorado dá pano para mangas, e o resto a agricultura e o comercio apronta a fatiota bem aprontada.

 

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 14:50

09
Mai 15

 

scn0003.tif

          O Dia da Mãe que em Portugal era festejado a 8 de Dezembro, dia da Imaculada Conceição, passou a ser celebrado no 1º domingo de Maio. Se por Maria mais fácil se chega a Jesus, este mês da flores é também por isso muito mariano e a seu tempo o padre Correia Guedes, enquanto pároco de São Pedro de Vilar de Ferreiros, o escolheu para dar início à época forte das festas e romarias no alto do Monte Farinha, com a Festa da Ascensão e celebração de Missa dominical, às 18h00, desde Maio até meados de Outubro.

itei 001.jpg

          Seguindo-lhe os passos, o novo pároco, Sr. Padre João, acrescentou agora mais uma louvável iniciativa, a de festejar o Dia da Mãe no dia próprio e à mesma hora, desta vez, com Missa concelebrada pelo Sr. padre Guedes.

001.jpg

          Para o efeito convidou todos os paroquianos a subir ao “Iteiro da Senhora” e ali sob protecção da Anfitriã celebrou a Eucaristia que nesse domingo, 3 de Maio, foi a única celebração paroquial pois pediu aos paroquianos para o dispensar de celebrar a missa na igreja matriz e juntos tomassem parte na participada eucaristia que no santuário de Nossa Senhora da Graça o coro da aldeia de Vilarinho abrilhantou, e as mães tiveram ali a sua memória bem realçada em sentimento e flores.

002.jpg

          Um bom ensaio para primeira grande festa deste ano, que é já no próximo dia 24, Festa da Ascensão do Senhor, embora em Domingo de Pentecostes. Mas também o dia há muito que deixou de ser festejado em 5º-feira de Ascensão. Por tudo, parabéns ao Pároco, Padre João Paulo; e também em jeito de homenagem saúdo todas as mães do mundo, com este poema maravilhoso de Guerra Junqueiro:

“Minha Mãe, Minha Mãe!

Minha mãe, minha mãe! ai que saudade imensa, Do tempo em que ajoelhava, orando, ao pé de ti. Caía mansa a noite; e andorinhas aos pares Cruzavam-se voando em torno dos seus lares, Suspensos do beiral da casa onde eu nasci. Era a hora em que já sobre o feno das eiras Dormia quieto e manso o impávido lebréu. Vinham-nos da montanha as canções das ceifeiras, E a Lua branca, além, por entre as oliveiras, Como a alma dum justo, ia em triunfo ao Céu!... E, mãos postas, ao pé do altar do teu regaço, Vendo a Lua subir, muda, alumiando o espaço, Eu balbuciava a minha infantil oração, Pedindo ao Deus que está no azul do firmamento Que mandasse um alívio a cada sofrimento, Que mandasse uma estrela a cada escuridão. Por todos eu orava e por todos pedia. Pelos mortos no horror da terra negra e fria, Por todas as paixões e por todas as mágoas... Pelos míseros que entre os uivos das procelas Vão em noite sem Lua e num barco sem velas Errantes através do turbilhão das águas. O meu coração puro, imaculado e santo Ia ao trono de Deus pedir, como inda vai, Para toda a nudez um pano do seu manto, Para toda a miséria o orvalho do seu pranto E para todo o crime a seu perdão de Pai!... (...) A minha mãe faltou-me era eu pequenino, Mas da sua piedade o fulgor diamantino Ficou sempre abençoando a minha vida inteira, Como junto dum leão um sorriso divino, Como sobre uma forca um ramo de oliveira! “.

 

 

 

 

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 12:34

30
Abr 15

fot 006.JPG

          A igreja de Nossa Senhora dos Mártires fica situada na Rua Garrett (ao Chiado), no local onde em 1147 se deu a batalha da conquista de Lisboa. Em memória dos que tombaram nesse combate foi construída a ermida dos Mártires sob a qual mais tarde foi construído o Convento de São Francisco. Da primitiva ermida um relicário com caveiras exposto num dos altares desta igreja de arquitectura barroca, em que a mão de mestres, como Reinaldo M. dos Santos e outros notáveis, como Inácio de Oliveira Bernardes e Pedro Alexandre de Carvalho deixaram marca, é para mim atractivo emocional que além dos mais me leva em pensamento ao meu torrão natal, onde no Monte Farinha me recordo de ver os peregrinos e romeiros nas festas da Ascensão e do Santinho, São Tiago, entrar na “Casa das Estampas” para ver ou beijar a “Caveira do Ermitão”. Tradição a que entretanto foi posto fim, com a retirada da caveira de lugar visível, mas que eu entendo, se ainda existe, devia voltar a ficar exposta em redoma, onde pudesse ser vista. Não seria nenhum sacrilégio, e os peregrinos e romeiros da Senhora da Graça, por certo agradeciam. E saber imitador as tradições nobres das terras civilizadas por certo não desonra os nossos aldeões.

fot 004.JPG

          Este post surgiu de uma deslocação que neste 30 de Abril fiz ao centro da capital e subi ao Chiado onde junto “A BRASILEIRA” um grupo de dançarinos africanos exibiam a sua arte com muitos turistas a ver e apreciar. O café A Brasileira do Chiado” foi fundado em 1905 por Adriano Soares Teles do Vale, um arouquense, nascido e Alvarenga. A partir da sua fundação A Brasileira passou a ser palco de tertúlias intelectuais, artísticas e literárias. Por li passaram nomes famosos reunidos ao torno do poeta-general Henrique Rosa (tio adoptivo de Fernando Pessoa), que viriam ser os fundadores da Revista Orpfeu.

fot 008.JPG

          Deixei o Chiado pelo elevador do Metro e regressei a casa, onde vim escrever o que colhi num passeio por esta cidade que sendo das mais belas da Europa uns certos portugueses agrupados tentam estragar a imagem com greves e paralisações laborais que a todos vai sair caro. Estou a lembrar-me da greve dos “mal pagos” pilotos da TAP que amanhã 1º de Maio, vão entrar em greve por 10 dias. Que São José tenha compaixão deles.

fot 001.JPG

          Já com a reportagem feita veio-me à mente uma imagem que tenho na retina e recorda uma tela representativa do “Rapto da Europa, por Zeus disfarçado de touro. Europa era a filha do rei da Fenícia”, diz a legenda.

          E pronto, assim acabou mais um Abril à portuguesa; e amanhã começa o Mês de Maria; Dia do Trabalhador e que tem São José Operário por patrono. Boas entradas no Mês das Romarias, que a festejar São José e logo no Domingo dia 03, com o Dia da Mãe a ser festejado no santuário de Nossa Senhora da Graça (Monte Farinha) com eucaristia às 16h00, dando inicio no "Iteiro da Senhora" à época festiva de 2015.

 

 

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 21:40

23
Fev 15

5736547_8JIzT.jpg

          Meio século são muitos 365 dias, mais o resto. Que postos ao serviço duma causa ou missão merecem ser realçados e reconhecidos por quem desse labor beneficiou. Reporto-me aqui ao Padre Correia Guedes que durante 50 anos paroquiou a freguesia de Vilar de Ferreiros, onde baptizou gerações e confortou em vida, e na hora de perdê-la, a alma de muitos paroquianos seus, e meus conterrâneos.

FOTOS Ferias Agosto 2009 4 039.jpg

           Estou a vê-lo nos primeiros meses da sua chegada a Vilar, numa aldeia sem estrada, sem luz eléctrica, nem água potável. Paciente, mas inconformado o “ Gigante com coração de pomba” vai de iniciar a batalha contra o marasmo das forças vivas da terra e do concelho. Começando por combater a pobreza vizinha, com fazer casa dos pobres, e à Caritas pedir apoio alimentar. Seguiu-se o empenho em ver a rede escolar a contemplar todo espaço da freguesia e por isso bateu-se pela criação de um posto escolar em Vila Chã, que conseguiu.

HPIM8078.JPG

          No cumprimento do seu múnus sacerdotal e no zelo pelo património paroquial e defesa dos direitos da freguesia, muitas vezes foi forçado a perder a paciência e dizer o que não queria. Quando hoje vejo pessoas a queixarem-se da crise que se vive, vem-me à memória os primeiros anos em que este zeloso sacerdote veio, como coadjutor do Abade Miranda, para Vilar de Ferreiros. O único meio locomotivo de então eram as pernas, e para atender os fregueses nos diversos lugares, dava mais trabalho aparelhar o cavalo do que ir a pé. Lembra-me de uma vez, no pino do Verão, o ver deixar o jantar na mesa, para levar os “últimos sacramentos" a um enfermo; fiz-lhe também companhia. Outra, de com ele, pelas Richeiras e Caminho Novo, subir ai “Iteiro da Senhora”, onde o vi, e ajudei também, de pano na mão, a limpar o pó das imagens e do altar de Nossa Senhora da Graça. Os anos passam e pesam sobre quem carrega com eles. Mas o importante é que no trajecto fique rasto, e o abade Correia Guedes, o “ Padre de Nossa Senhora da Graça” deixou bem visíveis as suas pegadas no terreno que pisou como pároco, e em particular no santuário do Monte Farinha.

HPIM7849.JPG

          Desde a sua ordenação em 1957, que o Padre Manuel Joaquim Correia Guedes - natural de Torgueda – Vila Real, onde nasceu 04 de Julho de 1932 -, foi colocado ao serviço do concelho de Mondim de Basto, primeiro em Pardelhas e Campanhó e quatro anos depois em São Pedro de Vilar de Ferreiros, a 12 de Janeiro de 1961.  Por ter resignado deixou de paroquiar a 04 de Outubro de 2013, mas por considerar  esta terra como sua, continua a habitar a residência paroquial e a dar apoio ao Arciprestado do Baixo Tâmega, em particular ao novo pároco que o veio substituir.

HPIM8089.JPG

          Entretanto foi nomeado Capelão da Santa Casa da Misericórdia de Mondim de Basto, onde vai à segunda, quarta e sexta-feira. Por muito que se tente contabilizar as virtudes e serviços prestados ao nosso concelho por este sacerdote, as contas acabaram sempre erradas por insuficiência de gratidão. Que nesta sua mais recente missão, a Misericórdia Divina ajude no levar da cruz de cada dia, não de rastos mas bem erguida como é timbre dum verdadeiro gigante do amor à Igreja e aos homens filhos de Deus.

 

 

 

 

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 19:55

08
Fev 15

7879463_ln0oJ.jpg

          Foi há quatro anos que Nossa Senhora da Graça perdeu um dedicado e generoso amigo que ao seu santuário do Monte Farinha consagrou muitas horas de pesquisa e estudo para dele fazer a história e dar a conhecer aos inúmeros devotos da Senhora e do Santinho, ou seja Nossa Senhora, e o Santinho, São Tiago. A monografia histórico-jurídica A Ermida do Monte Farinha constitui a peça fundamental da história do Santuário e de tudo o mais que de envolvente respeita à região e concretamente ao concelho de Mondim de Basto. Natural de Fajozes(Vila do Conde), onde nasceu a 05 de Junho de 1921, o Dr. Primo Casal Pelayo, faleceu em Lisboa, a 08 de Fevereiro de 2011. Faz hoje quatro anos. Que com saudade e preito de gratidão, em nome de Vilar de Ferreiros, aqui recordo.

 

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 16:42

13
Dez 14

C:\Users\utilizador_2\Pictures\16464771_l1fYI.jpg

          Acerca de doze meses divulguei um post que iniciei assim: “No primeiro dia de Ano Novo, 1 de Janeiro, deste 2014, ia da Bajouca para Minde quando nas proximidades de Leiria o meu telemóvel deu sinal que alguém me queria falar. Atendi e não demorou que viesse a triste noticia: Faleceu o senhor D. Joaquim Gonçalves!”.

C:\Users\utilizador_2\Pictures\s340x255.jpg

          Tinha por ele particular admiração e sei-o apreciador da minha actividade publicista; o meu opúsculo “Nossa Senhora da Graça-Na Fé dos Mareantes”, onde na bibliografia consta o seu livro: “Santuário da Nossa Senhora da Graça, no Monte Farinha” estava-lhe anunciado e fazia conta de lho oferecer em primeira mão. A minha admiração por este saudoso prelado vem da primeira visita oficial que fez a São Pedro de Vilar de Ferreiros e ao “Iteiro da Senhora”; mas o meu relacionamento pessoal foi a partir duma festa de bodas de aniversário do Sr. Padre Correia Guedes, em que nos ficamos a conhecer.

C:\Users\utilizador_2\Documents\Gisela\Património

          Com o também agora pároco emérito de Vilar de Ferreiros, Sr. Padre Guedes, a obra que deixaram patente no Santuário é um marco que há de permanecer por muitas gerações e os seus nomes eternamente ligados à história de um dos mais importantes santuários marianos de Portugal

C:\Users\utilizador_2\Documents\HPIM8201 - Cópia.

          D. Joaquim Gonçalves esteve à frente da diocese transmontana entre Janeiro de 1991 e Maio de 2011. O bispo emérito de Vila Real foi substituído por D. Amândio Tomás, seu coadjutor, em 2011, devido a um transplante cardíaco a que foi submetido em Coimbra

C:\Users\utilizador_2\Pictures\7512040_FTZoV.jpg

           No ano em deixou de ser titular, 2010, o “Bispo da Senhora da Graça” presidiu à Grande Peregrinação de Setembro, evento a que fiz referência no dia 18 de Agosto, citando: “Hoje, o meu amigo Casimiro Rosa subiu, pela primeira vez, ao "Iteiro da Senhora"! Pena tive de não me poder encontrar lá com ele para lhe falar da terra onde me nasceram os dentes e aprendi a gostar das pedras.... Conceituado Produtor da TVI, o Casimiro foi palpar o terreno para que no próximo dia 5 de Setembro, 1º domingo do mês, a Missa campal da Grande Peregrinação anual a Nossa Senhora da Graça, como de costume presidida por D. Joaquim Gonçalves, constitua também um autêntico êxito televisivo”. E foi de facto.

C:\Users\utilizador_2\Pictures\8516094_8yyrH.jpg

          Natural do lugar de Cortegaça – Revelhe (Fafe), onde nasceu a 17 de Maio de 1936, D. Joaquim faleceu a 31 de Dezembro de 2013, na Povoa de Varzim, pois ali residia com um irmão sacerdote,  o Padre José Gonçalves, e uma irmã enfermeira. Os seus restos mortais foram a sepultar na quinta-feira, 02 de Janeiro, em Jazigo da Diocese no cemitério de Santa Iria, em Vila Real. Na missa exequial presidida por D. Amândio Tomás, participou parte do episcopado português, o clero diocesano e vizinho, além de centenas de fieis e muitos autarcas. Amava a sua diocese, mas a menina dos seus olhos era a Senhora da Graça cujo santuário visitava amiúde e as obras e projectos acompanhava com interesse. A melhor homenagem que se lhe pode prestar é zelar o que está feito e dar continuidade ao  que  ficou para fazer. 

C:\Users\utilizador_2\Pictures\2014-12-13 p guedes

            Substituído por um "Bispo de 7 Estrelas", e transmontano, sério, inteligente, piedoso, sem medo à chuva, que veio de Vila Real e foi na Peregrinação desde o inicio e aguentou - Peregrino sereno e sorridente.

C:\Users\utilizador_2\Pictures\15820079_1maSL.jpg

          Estão criadas as condições para que tudo rode às mil maravilhas, com a nomeação do padre Paulo Castanheira Pinto, que veio substituir o Sr. Abade Manuel Joaquim Correia Guedes, que desta paróquia foi zeloso pároco durante mais de meio século, D. Amândio traçou as linhas que o novo  pároco e capelão do Santuário de Nossa Senhora da Graça tem a missão de levar a cabo, servindo a Igreja e os fieis da sua comunidade. E pode contar ainda com a colaboração do abade Correia Guedes, o pároco emérito, mas tipo de D. Joaquim:  ferrenho devoto de Nossa Senhora da Graça.

 

 

 

 

 

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 18:44

04
Nov 14

C:\Users\utilizador_2\Documents\HPIM8201 - Cópia.

          Chega-se ao fim de Setembro a afluência de visitas ao Santuário de Nossa Senhora da Graça, abranda; e logo, também, os meios de apoio e acolhimento ao peregrino ou forasteiro, perde de densidade, no que respeita a celebrações de igreja, e mesmo na restauração. No primeiro caso, Missa só no inicio do próximo mês de Maio, voltará à normalidade, com Eucaristia todos os domingos, às 16H00, se entretanto o plano dos anos anteriores não for alterado.

          Também quanto ao restaurante, o mais seguro encontrá-lo aberto será aos fins de semana; aos outros dias só avisando de véspera. Aberto e sempre ao dispor dos visitantes está o Santuário, com Nossa Senhora e o Santinho, Santiago, para receber os fieis e os abençoar, e ao lado a Casa das Recordações, com muitas lembranças ao gosto do cliente, e a simpatia dos atendedores

C:\Users\utilizador_2\Pictures\2014-11-04 arcoir\a

           Quando no principio de Novembro está assim em Lisboa, que será durante os meses que aí vêm, no cimo do Monte Farinha; com quase 1000 metros de altitude! Mas é quando os mais corajosos gostam de lá subir. Eu subo em pensamento.

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 17:21

Maio 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24

26
27
28
29
30
31


mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO