Neste blog, vou passar fazer todo aquele trabalho que habitualmente tenho vindo a distribuir por vários blogs. Dar descanso aos velhos....

12
Out 16

 

IMG_6928.JPG

 A chuva chegou ontem à capital e mansinha lavou e refrescou as ruas e passeios. Pecou por demasiado tarde, pois no campo não colaborou com o lavrador que na vinha e outros produtos da lavra fazia jeito ter chegado tempos antes das vindimas e colheitas do São Miguel. Mas veio no tempo que a natureza destinou, e nessa área ninguém se pode pronunciar, pois nem o homem que se tem atrevido a ir à Lua, consegue travar a chuva e o vento quando estes resolvem evidenciar o seu potencial. Fez jeito com esta sua mansidão, e foi bem vinda à região alfacinha. Se foi assim por todo o país é de agradecer, e neste 12 de Outubro com muita mais razão. 

BBxiQxL.jpg

 Porem, como aos lavradores, também às autoridades militares que nas aldeias de Candal, Póvoa das Leiras e Coelheira (São Pedro do Sul) tentam capturar o assassino de Aguiar da Beira que aqui se refugiou, quer a chuva e quer o nevoeiro se colocaram a favor do criminoso, a monte naquela zona servida pela EN. 326 que liga S. Pedro do Sul a Arouca. E quanto a estragos não ficamos por aqui, pois quem tem figueiras e não apanhou os figos atempadamente, com esta chuva outonal ficou sem figos.

IMG_6927.JPG

 Mesmo assim, no próximo fim de semana, se Deus deixar, vou dar uma saltada até à capital do barro leiriense, e na minha figueira se ainda houver, colher alguns, mesmo que com a “ boca aberta” como acontece após a chuva cair.

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 21:07

 

DSCN0011 (2).JPG

Com amável dedicatória foi me ofertado um interessante trabalho bibliográfico de aturada pesquisa pela distinta madeirense Maria de Fátima Mendonça Teixeira Gomes. Natural do Machico, onde nasceu a 28 de Agosto de 1946, a D. Fátima é uma coleccionadora de formaturas universitárias que se deixam rever num conjunto de ocupações profissionais desempenhadas até à sua aposentação; onde além de responsável pela Acção Social do Município do Funchal – Sectores da Habitação, Infantários, Trabalhadores Municipais/Pessoal - , leccionou no Colégio de Santa Teresinha, na Escola do Magistério Primário e na Escola Secundária Francisco Franco. Autora de várias publicações, a mais recente versa à volta de uma ilustre machiqueira, que do Colégio de Santa Teresinha foi directora desde Setembro de 1954 a Agosto de 1971, a Irmã Benvinda ou Matilde de Sousa.

DSCN0012 (2).JPG

 Em 173 páginas, ilustradas com imagens alusivas ao tema, o texto leva-nos ao encontro duma figura madeirense que se distinguiu, como alma consagrada, no serviço ao próximo e que por isso, a autora no Ano dos Consagrados (2015) e agora no da Misericórdia(2016) quis destacar, honrando, também, entre muitas, a memória de duas personagens que, na Madeira, por amor se deram à educação da juventude, atendimento aos pobres e doentes, e que foram a venerável Irmã Mary Jane Wilson, e a Irmã Benvinda. Ambas se notabilizaram em obras de caridade e educação, patentes em: orfanato, farmácia e colégio. A vertente biográfica é evidente no labor editorial da Professora Fátima Gomes e testei-o já em obra anterior sob o titulo “Da Fé, Brotam as Obras” que D. Maurílio Gouveia prefaciou, e ela consagrou á  Vida e Obra de Maria Eugénia de Canavial. Decorridos dois anos aqui temos mais um interessante trabalho seu que como então comentei “não se pode ficar circunscrito aos madeirenses é para ser conhecido e bem divulgado”. Neste, temos de novo a distinta autora com mais um excelente trabalho de pesquisa e arrolamento que mereceu de Bispo Emérito do Funchal, D. Teodoro, as elogiosas referencias “ Felicito a autora do livro que nos conduziu pela mão desde o vale de Machico, ao colégio humilde de Santa Teresinha em Santa Luzia, ao grande monumento do novo Colégio, necessário para o crescimento cultural e espiritual das alunas, à cidade de Lisboa e à Roma de São Pedro e São Paulo, ( só faltou Jerusalém) para depois penetrar na tórrida África, e finalmente, de novo retornar à Madeira”. Uma obra que satisfaz ler e que em verso e prosa conduz o leitor às entranhas culturais, espirituais, históricas e sociais do povo madeirense.

 

publicado por aquimetem, Falar disto e daquilo às 20:18

Outubro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
13
14

17
18
20

25
26
28
29



subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO