Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Dia de São João Bosco, 31 de Janeiro

por aquimetem, em 28.01.16

dbosco.jpg

Temos o Fevereiro à porta, e o Janeiro a despedir-se em dia de São João Bosco. Já lá vai o tempo em que nesta data era dia festivo para mim, algumas vezes em convívio com os demais amantes de magia, ora em Lisboa, na Figueira da Foz ou na Cidade Invicta. Estes os três principais pólos onde as artes mágicas se impuseram e conheci ali a florescerem nos finais da década de 50. Em Lisboa, na SIJ e na Associação Portuguesa de Ilusionismo, com Saiur; na Figueira da Foz, com os festivais de magia, no Casino, impulsionados por Fausto Caniceiro; e no Porto, na API, com Martins Oliveira, e na secção da Ilusionismo do Clube Os Fenianos, onde um Savil e outros como Fernando Coimbra se destacaram. O Porto é sempre aquela máquina, podem outros fraquejar, mas o “tripeiro” não desiste, e eu que fui ao site da API, na expectativa de saber onde São João Bosco ia ter festa mágica em Lisboa, mas nem sequer qualquer referencia ao patrono encontrei feita. Merecia. Deste sacerdote fundador dos Salesianos se diz é “aclamado o pai e mestre da juventude, é também o padroeiro dos Ilusionistas! Nasceu a 16 de Agosto de 1815 em Becchi. Durante a sua vida se dedicou ao desenvolvimento da educação infantil e juvenil e do ensino profissional. Sendo um dos criadores do sistema preventivo em educação. Era também um aficionado que pelas artes mágicas, usando esta arte para chamar a atenção dos jovens e desta forma, educava-os para uma vida de bem. Falecido em 31 de Janeiro de 1888 em Turin”.

Tenho pena de não poder partilhar do festival que o Porto, por meio do CIF, este fim de semana presta a este santo, mas não posso mesmo, e bem gosto fazia matar saudades e entrar : “ no edifico do Clube Fenianos Portuenses (CFP) sede do Clube Ilusionista Fenianos (CIF). Sendo o CIF uma secção do CFP. Este edifico centenário dispõe de bar e várias salas para a prática de várias actividades, destacam-se as seguintes: Salão Nobre, para espectáculos de palco. Anfiteatro, sala para magia de proximidade e magia de salão. Sala de Ilusionismo, é uma sala inspiradora, com artigos dignos de museu e alguns livros para consulta dos associados, é também uma sala para inspiração e treino a prática do ilusionismo”. Deixo o programa: Sexta-feira 29-01-16 = Abertura /Inscrições / Recepção = 16h00. Boas vindas =17h00. Feira Magia e às 21h30 Gala de magia. Sábado 30-01-16 =09h30= Abertura / Recepção; 10h00= Feira mágica; 10h30 = Conferência; 14h45 = Concurso Palco e dia termina com Gala de Magia ás 21h30. No Domingo, dia 31 e Dia de São João Bosco, a jornada começa com Conferência às 10h00; outra conferencia às 11h30; às 12h30 Feira Magica; às 13h00=Sessão de encerramento; e às 13h30, almoço de confraternização.

17109_961945487184098_5253396703864925723_n.jpg

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:40


O QUE É UM INFIEL PARA O MUÇULMANO ?

por aquimetem, em 28.01.16

500_F_99508330_aNq1JR6mdfIhCMQbXKL7AGoAQPECQ2lq.jp

De pessoa amiga recebi este artigo que bem merece divulgação e reflexão……

Costa Pereira

“O QUE É UM INFIEL PARA O MUÇULMANO ?

O PERIGO APROXIMA-SE COM PEZINHOS DE LÃ Mesmo entre os seguidores de Maomé há inimigos, segundo os jihades do Califado, qualquer islamista que discorde deles, é INIMIGO e deve ser morto. Onde chegará esta onda de irracionalidade e de loucura?  

MEDITAR NA MENSAGEM DE UM ADVOGADO FRANCÊS - GILBERT COLLARDComo demonstram as linhas que se seguem, fui obrigado a tomar consciência da extrema dificuldade em definir o que é um infiel.   Escolher entre Allah ou o Cristo, até porque o Islamismo é a religião que progride mais depressa em França. O mês passado, participava no estágio anual de actualização, necessária à renovação da minha habilitação de segurança nas prisões. Havia nesse curso uma apresentação por quatro intervenientes representando respectivamente as religiões Católica, Protestante,Judaica e Muçulmana, explicando os fundamentos das suas doutrinas respectivas. Foi com um grande interesse que esperei a exposição do Imam. A prestação deste último foi notável, acompanhada por uma projecção vídeo. Terminadas as intervenções, chegou-se ao tempo de perguntas e  respostas e, quando chegou a minha vez, perguntei:   “Agradeço que me corrija se estou enganado, mas creio ter compreendido que a maioria dos Imams e autoridades religiosas decretaram o “Jihad” (guerra santa), contra os infiéis do mundo inteiro, e que matando um infiel (o que é uma obrigação feita a todos os muçulmanos), estes teriam assegurado o seu lugar no Paraíso. Neste caso poderá dar-me a definição do que é um infiel?

Sem nada objectar à minha interpretação e sem a menor hesitação, o Imam respondeu: “ um não - muçulmano”.

 Eu respondi : “Então permita assegurar-me que compreendi bem : O conjunto de adoradores de Allah devem obedecer às ordens de matar qualquer pessoa não pertencendo à vossa religião, a fim de ganhar o seu lugar no Paraíso, não é verdade?

A sua cara que até agora tinha tido uma expressão cheia de segurança e autoridade transformou-se, subitamente, à de um miúdo apanhado em flagrante com a mão dentro do açucareiro!!!

É exacto, respondeu ele num murmúrio. Eu retorqui :

“Então, eu tenho bastante dificuldade em imaginar o Papa Francisco dizendo a todos os católicos para massacrarem  todos os vossos correligionários, ou o Pastor Stanley dizendo o mesmo para garantir a todos os protestantes um lugar no Paraíso…” O Imam ficou sem voz! Continuei: Tenho igualmente dificuldades em considerar-me vosso amigo, pois que o senhor mesmo e os vossos confrades incitam os vossos fiéis a cortarem-me a garganta !

Somente um outra questão : “O senhor escolheria seguir Allah que vos ordena matar-me a fim de obter o Paraíso, ou o Cristo que me incita a amar-vos a fim de que eu aceda também ao Paraíso, porque Ele quer que eu esteja na vossa companhia?” Poder-se-ia ouvir uma mosca voar, enquanto que o Imam continuava  silencioso.

Será  inútil precisar que os organizadores e promotores do Seminário de Formação não apreciaram esta maneira de tratar o Ministro do culto Islâmico e de  expor algumas verdades a propósito dos dogmas desta religião. No  decurso dos próximos trinta anos, haverá suficientes eleitores muçulmanos no nosso país para instalar um  governo de sua escolha, com a aplicação da “Sharia” como lei.

Parece-me que todos os cidadãos deste país deveriam poder tomar conhecimento destas linhas, mas como o sistema de justiça e dos “media” liberais combinados á moda doentia do  “politicamente correto”, não há forma de que este texto seja publicitado…      É por isto que eu vos peço para enviar a todos os vossos contactos via Internet.”                                                             Gilbert Collard

500_F_100677762_h19X0V5H0dDKf50Yyg98bQWiqOiy8yjg.j

PROBLEMAS QUE EXIGEM REFLEXÃO

A  Holanda  vai  correr  com  os  muçulmanos

A Holanda, em que 6% da população é muçulmana, rejeita agora o multiculturalismo. O governo holandês está cansado de ser pisado pelos muçulmanos e abandona o modelo de sua longa data de multiculturalismo que não fez senão incentivar os imigrantes muçulmanos a criarem uma sociedade paralela e nociva dentro do país. Um novo projeto de lei apresentado ao Parlamento pelo ministro do Interior holandês Piet Hein Donner em 16 de Junho diz o seguinte "O governo partilha a insatisfação do povo holandês face ao modelo de uma sociedade multicultural na Holanda e manifesta a sua intenção de agora concentrar suas prioridades nos valores fundamentais do povo holandês. Sob o novo sistema de integração, os valores holandeses terão um papel fulcral e, portanto, o governo "não adere mais ao modelo de uma sociedade multicultural." A carta continua: "Uma integração mais rigorosa é perfeitamente justificada porque isso é o que é exigido pelo Governo e todo o seu povo. Esta orientação é agora absolutamente necessária porque a sociedade holandesa está a desintegrar-se, em termos de identidade e já ninguém se sente em sua casa na Holanda. "

A nova política de integração será muito mais exigente por com os imigrantes. Por exemplo, os imigrantes devem necessariamente aprender holandês e o governo holandês vai tomar medidas coercivas em relação aos imigrantes que ignoram os valores do país e desobedecem às leis do país. Assim, Governo holandês vai deixar de dar subsídios especiais aos muçulmanos para os integrar (até porque, de qualquer forma, eles o não fazem porque, segundo Donner, "não compete ao governo e aos públicos fundos a integração dos imigrantes. "O projecto  prevê também a criação de legislação proibindo os casamentos forçados bem como legislação impondo medidas severas para esses imigrantes muçulmanos que, por sua livre vontade, reduzem suas hipóteses de emprego pela maneira como se vestem. Especificamente, o Governo vai proibir, a partir de Janeiro 2015, o uso de roupas que cubram o rosto, como o véu, burca, hijab, etc. A Holanda deu-se conta, talvez tardiamente, que o seu liberalismo multicultural está em vias de fazer do país um território de tribos do deserto que está prestes a matar as origens do país e a sua própria identidade. O futuro da Austrália, Reino Unido, Canadá, Bélgica e França pode muito bem enquadrar-se neste texto!!!... E o de Portugal também, enquanto não é demasiado tarde!

E a mensagem concluía deste modo: 86% dos internautas irão fazer circular este texto. Deveriam ser 100%. E você, o que vai fazer? A minha parte está feita... Lutemos pela nossa identidade nacional!!! MAIS VALE TARDE DO QUE NUNCA

REENVIE 100 VEZES SE FOR PRECISO, PARA VER SE ESTA RAPAZIADA ACORDA”.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:48


Do meu rol de amizades.

por aquimetem, em 24.01.16

 

alamedadauniv 042.JPG

 Organizado pela Federação Nacional de Atletismo e o apoio da Câmara Municipal de Lisboa decorreu no passado dia 23, o Campeonato Nacional de Estrada, Lisboa a Mexer. Prova de 10km, com partida e chegada na Alameda da Universidade.

alamedadauniv 026.JPG

Na prova feminina, Dulce Félix do Benfica foi a vencedora individual, cortando a meta em 32.52 minutos. Por equipas, também os “encarnados” foram vencedores.

alamedadauniv 029.JPG

Em masculinos, individualmente venceu o Sporting e por equipas o Benfica. O atleta dos

“leões” Rui Silva, de 38 anos, fez o percurso em 29.50 minutos.

.alamedadauniv 003.JPG

alamedadauniv 014.JPG

alamedadauniv 035.JPG

alamedadauniv 037.JPG

alamedadauniv 039.JPG

Nesta prova participaram clubes e atletas vindos de todo o país, foi a convite da secção de atletismo do GAU ( Grupo Alegre e Unido da Bajouca-Leiria) que me desloquei até à Alameda da Universidade e graças a esse convite  passar uma boa parte da tarde do dia 23 deste Janeiro de 2016.

alamedadauniv 009.JPG

alamedadauniv 006.JPG

Além do GAU, lá descobri no meio de tantos clubes e participantes o Engº. Licínio Pereira que faz parte da equipa do Industrial Desportivo Vieirense. Foi um prazer encontrar caras conhecidas desta modalidade desportiva; e mais ainda, por algumas fazerem parte do meu rol de amizades.

 Neste vídeo se colhe do evento uma melhor impressão panorâmica

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:18


Até sempre senhor engenheiro.

por aquimetem, em 23.01.16

Espirito Santo 009.JPG

Razão tenho para me queixar do mês de Janeiro que não desiste de me dar desgostos, foi o Padre Guedes, e agora o Eng. Tomás do Espírito Santo, ainda parentes entre si. Natural de Vila Real, onde nasceu a 30 de Dezembro de 1922, este insigne transmontano faleceu em Lisboa no passado dia 19.

Espirito Santo 001.JPG

 Licenciou-se em Ciências Matemáticas, em Ciências Geofísicas, sendo Eng. Geógrafo pela Faculdade de Ciências de Lisboa. Nesta condição foi Chefe do Serviço de Previsão do tempo e director do serviço de Exploração Meteorológica. Nesta actividade trabalhou nos aeroportos de Lisboa , Santa Maria e Lourenço Marques (Maputo). Um amigo que fui ontem, dia 21, visitar numa capela mortuária da igreja de São João de Deus e assistir a uma missa de que foi celebrante monsenhor José Rafael Espírito Santo, vigário regional do Opus Dei, em Portugal, e filho dilecto do saudoso falecido.

Espirito Santo 003.JPG

Foi governador civil de Vila Real e deputado à Assembleia da Republica. Das muitas funções que desempenhou recordamos que foi “Representante de Portugal junto da Organização Meteorológica Mundial (Permanente), Presidente da Comissão nacional do Ano Europeu do Ambiente, membro da Secção Permanente do Conselho Superior da Ciência e Tecnologia (19871991); Delegado do Ministério da Qualidade de Vida na Comissão Portuguesa de Oceanologia (1984/87), membro da Comissão Nacional do Programa "O Homem e a Biosfera" e Director da Comissão Cultural Luso Americana”.  Também como regionalista serviu Trás-os - Montes e Alto Douro, partindo do labor com que na nossa Casa Regional deu muito do seu tempo, na condição de sócio e dirigente fervoroso. Também por  isso a CTMD se fez representar pelos seus corpos gerentes  e com a bandeira que a meia haste se manteve junto da urna desde as 16h00 do dia 21 até às 12h30 do dia 22, final da missa concelebrada a que presidiu Mons. Espirito Santo.

Espirito Santo 004.JPG

Na ciência  tornou-se um profissional competente e interessado no estudo e investigação, o que lhe valeu as muitas condecorações nacionais e internacionais com que foi agraciado. Também como cristão generoso e disponível este cidadão deixou rasto. A noticia que recolhi do Centro de Orientação Familiar (CENOFA) é bem elucidativa: “Ontem (19/01/2016) faleceu o nosso estimado Dr. Tomás Espírito Santo, que muitos conhecemos apenas como Engº Espírito Santo, juntando-se no Céu à sua querida esposa Carmelinda. Foram sempre uma casal exemplar, na serenidade, cumplicidade e amor forte. Muitos dos que puderam ter a sorte de acompanhar o Cenofa dos primeiros tempos, lembram-se seguramente da graça tranquila que corria no olhar e palavras do casal Espírito Santo. Também uma generosidade e uma alegria únicas que só podem ter a sua explicação em corações iluminados por uma Fé profundamente vivida “.

Espirito Santo 008.JPG

Tive a honra de tê-lo por amigo e de com ele passar bons momentos. Foi primeiro na Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro de Lisboa, e mais tarde em retiros e convívios que fizemos ambos. Mas já antes, era ele governador civil, o tinha por meu leitor de escritos que lhe enviava para Vila Real; só que não nos conhecíamos pessoalmente. Quando mais tarde, na Casa de Trás os Montes nos conhecemos, tornamo-nos amigos, mas sem nunca  abordar águas passadas, ou que desse a entender que fosse eu o tal remetente das noticias que mandava sobre Mondim. Assim mantive esse anonimatos durante alguns anos, até que um dia, a caminho Fátima, veio à baila a Senhora da Graça, e acontece que a certa altura lembrou-se  dizer: "quando era governador civil costumava receber jornais que alguém com o seu apelido enviava, ainda por lá tenho alguns desses jornais em casa". Calei-me, mas não consegui conter um sorriso denunciador. Claro que deu conversa para meia viagem, a outra meia foi para rezar o terço, que também em viagem o Sr. Eng. Espirito Santo nunca se esquecia. Já se acabaram os encontros dos Montes Claros, os convívios e as festas da nossa Casa. Deixa saudades e o velório e as eucaristias destes que foram os últimos 2 dias de permanência em Lisboa demonstraram isso mesmo. Vale a pena ter e merecer ter amigos.  

Espirito Santo 006.JPG

Partiu, foi a despedida. Com ele seguiram para a terra-berço, - onde hoje, sábado, D. Amândio vai celebrar missa - os restos mortais de sua muito amada esposa, D. Carmelinda (Carmelinda Augusta da Silva Santos Espírito Santo). Juntos em vida, juntos na partida e certamente juntos no Céu, pois que na terra o souberam conquistar. Até sempre senhor engenheiro.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:55


Antes que seja tarde

por aquimetem, em 20.01.16

bajouca 009.JPG

De pessoa amiga recebi online uma mensagem que pelo seu interesse vou divulgar pois me parece oportuna a sua divulgação. É uma visão germânica sobre o Islão que vale a vale a pena ler:

“Esta é, de longe, a melhor explicação para a situação terrorista muçulmana que eu já li. Suas referências ao passado histórico são precisas e claras. Não é longa, fácil de entender, e vale a pena ler. O autor deste e-mail é o Dr. Emanuel Tanya, um psiquiatra conhecido e muito respeitado.

Um homem, cuja família era da aristocracia alemã antes da II Guerra Mundial, era dono de um grande número de indústrias e propriedades. Quando questionado sobre quantos alemães eram nazis verdadeiros, a resposta que ele deu pode orientar a nossa atitude em relação ao fanatismo.

"Muito poucas pessoas eram nazis verdadeiros ", disse ele, "mas muitos apreciavam o retorno do orgulho alemão, e muitos mais estavam ocupados demais para se importar. Eu era um daqueles que só pensava que os nazis eram um bando de tolos. Assim, a maioria apenas se sentou e deixou  tudo acontecer. Então, antes que soubéssemos, pertencíamos a eles; tínhamos perdido o controle, e o fim do mundo havia chegado. Minha família perdeu tudo. Eu terminei num campo de concentração e os aliados destruíram as minhas fábricas".

Somos repetidamente informados por "especialistas" e "cabeças falantes" que o Islão é a religião de paz e que a grande maioria dos muçulmanos só quer viver em paz. Embora esta afirmação não qualificada possa ser verdadeira, ela é totalmente irrelevante. Não tem sentido, tem a intenção de nos fazer sentir melhor, e destina-se a diminuir de alguma forma, o espectro de fanáticos furiosos em todo o mundo em nome do Islão.

O facto é que os fanáticos governam o Islão neste momento da história. São os fanáticos que marcham. São os fanáticos que travam qualquer uma das 50 guerras de tiro em todo o mundo. São os fanáticos que sistematicamente abatem grupos cristãos ou tribais por toda a África e estão tomando gradualmente todo o continente em uma onda islâmica. São os fanáticos que bombardeiam, degolam, assassinam, ou matam em nome da honra. São os fanáticos que assumem mesquita após mesquita. São os fanáticos que zelosamente espalham o apedrejamento e enforcamento de vítimas de estupro e homossexuais. São os fanáticos que ensinam os seus filhos a matarem e a tornarem-se homens-bomba.

O facto duro e quantificável é que a maioria pacífica, a "maioria silenciosa", é e está intimidada e alheia. A Rússia comunista foi composta por russos que só queriam viver em paz, mas os comunistas russos foram responsáveis pelo assassinato de cerca de 20 milhões de pessoas. A maioria pacífica era irrelevante. A enorme população da China também foi pacífica, mas comunistas chineses conseguiram matar estonteantes 70 milhões de pessoas.

O indivíduo médio japonês antes da II Guerra Mundial não era um belicista sadista... No entanto, o Japão assassinou e chacinou no seu caminho por todo o Sudeste Asiático numa orgia de morte, que incluiu o assassinato sistemático de 12 milhões de civis chineses, mortos pela espada, pá, e baioneta. E quem pode esquecer Ruanda, que desabou em carnificina. Não poderia ser dito que a maioria dos ruandeses eram "amantes da paz"?

As lições da História são muitas vezes incrivelmente simples e contundentes, ainda que para todos os nossos poderes da razão, muitas vezes falte o mais básico e simples dos pontos: os muçulmanos pacíficos tornaram-se irrelevantes pelo seu silêncio. Muçulmanos amantes da paz se tornarão nossos  inimigos se não falarem, porque como o meu amigo da Alemanha, vão despertar um dia e descobrir que são propriedade dos fanáticos, e que o final de seu mundo terá começado.

Amantes da paz alemães, japoneses, chineses, russos, ruandeses, sérvios, afegãos, iraquianos, palestinianos, somalis, nigerianos, argelinos, e muitos outros morreram porque a maioria pacífica não falou até que fosse tarde demais.

Agora, orações islâmicas foram introduzidas em Toronto e outras escolas públicas em Ontário e, sim, em Ottawa também, enquanto a oração do Senhor foi removida (devido a ser tão ofensiva?). A maneira islâmica pode ser pacífica no momento no nosso país, até os fanáticos se mudarem para cá.

Na Austrália e, de facto, em muitos países ao redor do mundo, muitos dos alimentos mais comumente consumidos têm o emblema halal (o que é permitido por Alá) sobre eles. Basta olhar para a parte de trás de algumas das barras de chocolate mais populares, e em outros alimentos no seu supermercado local. Alimentos em aeronaves têm o emblema halal, apenas para apaziguar uma minoria privilegiada, que agora se está expandindo rapidamente dentro das margens da nação.

No Reino Unido, as comunidades muçulmanas recusam-se a integrar-se e agora há dezenas de zonas "no-go" dentro de grandes cidades de todo o país em que a força policial não ousa se intrometer. A Lei Sharia prevalece lá, porque a comunidade muçulmana naquelas áreas se recusa a reconhecer a lei britânica.

Quanto a nós que assistimos a tudo isto, devemos prestar atenção para o único grupo que conta - os fanáticos que ameaçam o nosso modo de vida.

Por fim, qualquer um que duvide que o problema é grave e apenas exclua este e-mail sem o enviar, estará contribuindo para a passividade que permite que os problemas se expandam. Então reenvie esta mensagem! Vamos esperar que milhares de pessoas, em todo o mundo, leiam e pensem sobre isto e também divulguem esta mensagem – antes que seja tarde demais”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:28

12941398_uA1u8.jpg

Nestes últimos anos, o mês de Janeiro tem-me dado fortes desgostos. Foi há dois anos, com a noticia que recordo em Falar disto e daquilo, de 13/12/14, deste modo: “No primeiro dia de Ano Novo, 1 de Janeiro, deste 2014, ia da Bajouca para Minde quando nas proximidades de Leiria o meu telemóvel deu sinal que alguém me queria falar. Atendi e não demorou que viesse a triste noticia: Faleceu o senhor D. Joaquim Gonçalves!”.

DSCN1824.JPG

Este ano também, logo pela manhã, em Domingo de Reis, recebo a triste noticia que de pronto divulguei no Facebook, às 11h16: “ Está de pesado luto o concelho de Mondim de Basto, mormente a freguesia de Vilar de Ferreiros que ele paroquiou durante meio século. Acaba de falecer o Sr. Padre Guedes, o padre da Senhora da Graça”.

Mas não fica por aqui, em 2015 foi uma cunhada que também a 02 de Janeiro deixou o Casal dos Afonsos (Bajouca-Leiria) e que muito a estimava. Dela divulguei logo no dia 03, em Falar disto e daquilo, a noticia: “Foi hoje a sepultar no cemitério da Bajouca, a bajouquense senhora D. Beatriz dos Prazeres Pedrosa, viúva de José Afonso e mãe de Maria José, João, José Carlos, Maria dos Anjos, Raul, Maria Helena, Irene, Maria dos Prazeres, Jorge, Maria da Conceição, e ainda de Isabel e Francisco Pedrosa Afonso, já falecidos”.

7879463_ln0oJ.jpg

Isto para documentar que de facto tenho razão ao me queixar do mês de Janeiro, pois que neste aspecto tem sido muito rude para comigo. E se desço mais atrás, ao ano de 1968, ali vou dar com a perda de outro grande amigo e insigne conterrâneo meu, o Abade Miranda, padre Manuel António de Morais Miranda, de quem o autor de A Ermida do Monte Farinha, o Dr. Primo Casal Pelayo, na página 103, escreveu : ” Esperava eu de Deus a alegria de lhe poder entregar pessoalmente um volume desta monografia. A dura doença que o atormentou já, o não permitiu, pois que o quis ceifar naquele fatídico dia 09 de Janeiro, pelas 14 horas e trinta minutos “. Já todas estas almas partiram à minha frente, mas deixaram parte de si no meu coração, motivo porque as recordo com saudade neste Janeiro de 2016.

18410154_f0pw0.jpg

Mais ainda porque estou recordando um Abade Miranda, que foi origem do meu empenho na defesa dos direitos de Vilar de Ferreiros na Senhora da Graça; de um Dr. Primo Pelayo que generosamente defendeu essa causa; de um bispo, como D. Joaquim que mereceu o cognome de “O Bispo da Senhora da Graça”; e de um sacerdote, como o padre Manuel Guedes, que auxiliado pelo saudoso Sr. Manuel Lopes - e pelo ainda muito activo Mário Borges Lopes- na paroquia e no Santuário de NS da Graça deixou obra de realce. Nomes a perpetuar e por isso de gravar, senão em ouro, que pelos menos seja em bronze do utilizado nas sineiras das grandes catedrais. Assim o merece quem em vida zelou e generosamente serviu aquele famoso santuário e em particular a freguesia de Vilar de Ferreiros. São estes alguns dos verdadeiros amigos do Monte Farinha que o Janeiro ceifou.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:54


FELIZ 2016!

por aquimetem, em 10.01.16

 

pal 002.JPG

Ser agradecido nos dias que correm não é muito normal encontrar quem o seja, mas nas gerações crescidas em bons lares e famílias que foram alimentadas com broa e malgas de caldo, o bom costume mantém-se. O Dr. Armando Palavras, temperado com sangue e alma transmontana, e que é proprietário de Tempo Caminhado, não perdeu o bom costume e por isso antes que as Festas Natalícias de 2015/2016 chegassem ao termo, que foi hoje,com a Festa do  Baptismo do Senhor, não se esqueceu dos colaboradores mais assíduos que ao longo do ano dão  de si o que podem em  favor do seu blog. Assim:

tem 002.JPG

Sábado, 9 de janeiro de 2016

Os sete magníficos de "Tempo Caminhado"

O ritmo deste blogue deve-se sobretudo aos seus colaboradores. São inúmeros os que nos enviam material publicável.Contudo, destacam-se entre eles sete transmontanos: Vergílio Gomes, Costa Pereira, Sílvio Teixeira (actualmente internado no Lar da senhora da Conceição - Vila Real), Barroso da Fonte, A.M. Pires Cabral, Jorge Lage e Carlos D'Abreu. “Tempo Caminhado”, bem como o seu “proprietário” (!?) agradecem. Um ano próspero. Para eles, para os seguidores (poucos e bons) e para quem nos “visita”.

Publicada por Armando Palavras à(s) 16:54 Sem comentários:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:11


Recortes duma eterna amizade

por aquimetem, em 08.01.16

FOTOS Ferias Agosto 2009 4 039.jpg

Desde a sua entrada em Vilar de Ferreiros que também o seu labor na paróquia começou por ser acompanhado e divulgado pela imprensa regional que logo notou no “padre novo” de Vilar algo que não era habitual ver. Isso valeu que mais tarde aparecesse publicado um comentário a dizer: “Sacerdote exemplar e pároco atento às carências espirituais e humanas dos paroquianos, a sua acção ficou marcada logo no inicio da sua chegada a Vilar, na década de 60, quando confrontado com a  pobreza de alguns paroquianos se lançou na construção de habitações e solicitou apoio alimentar à Caritas para os mais necessitados. Entretanto vieram dias melhores e a briosa iniciativa deixou de ter sentido, pois cada um passou a usar da sua cana para pescar”.

 

HPIM8201 - Cópia (2).JPG

Noutra local consta registado: “Mas o papel mais importante do abade Correia Guedes foi e é o desempenhado, na condição de pároco de São Pedro de Vilar de Ferreiros, como Presidente da Irmandade de Nossa Senhora da Graça, e que se pode ver bem realçado na obra ali realizada e muito louvada por todos quantos sobem ao cimo do Monte Farinha, mormente os devotos de Nossa Senhora e do Santinho, Santiago”. Já não é, mas ficou a memória.

14874510_rHHI8.jpg

Em blog meu escrevi, em Abril de 2013: “Nas minhas "velharias" fui encontrar esta foto alusiva a uma das grandes peregrinações de Setembro, no Monte Farinha, onde se reconhece bem o então bispo da Diocese, D. António Cardoso Cunha; o arcipreste de Mondim de Basto, Sr. Padre Domingos; o "gigante com coração de pomba", Sr Padre Correia Guedes; e o "mestre florestal", Sr. Teixeira, de Sobreira, e outros cujo nome ignoro. Dos citados já só o Sr Padre Guedes faz parte do nosso mundo terreno, mundo no qual a missão sacerdotal, a exemplaridade do cidadão e o espírito de serviço e verdade do Padre Guedes muito têm contribuído para tornar esse "Mundo Melhor". De D. António Cardoso recordo para lembrar que não foi sem antes medir bem a decisão que a Diocese de Vila Real - primeiro graças a D. António Valente da Fonseca - tomou de devolver a administração da Ermida do Monte Farinha à paróquia de São Pedro de Vilar de Ferreiros, pondo fim a uma abusiva usurpação de direitos paroquiais que vinha do tempo da 1ª Republica”. Recordo porque também já o Padre Manuel Guedes deixou de fazer parte dos vivos a que faz referencia a noticia. Sem foto para ilustrar, recordo ainda o “1º Encontro da colónia de Vilar de Ferreiros, em Lisboa”, que sem precisar o ano, sei foi na década de 60. Assim referido:  “A colónia de Vilar de Ferreiros em Lisboa, por  meados da década de 60 deu inicio a um convívio anual, cujo 1º me recordo decorreu na Casa Pia (instalações de Pina Manique - Restelo) e foi animado pelo Rancho da aldeia de Vilarinho. Com o rancho, vieram então muitos residentes da  freguesia, entre eles o respectivo abade, Sr. P. Manuel Guedes, que celebrou na histórica igreja da Memória (à Calçada do Galvão) para todos os participantes desse convívio”. Encontro que deixou de continuar fazer-se, por falta de organizadores.

capela de S.José do Fojo.bmp

Promotor de eventos paroquiais como no Dia do Pai, festejar a data na capela do Fojo, foi iniciativa sua, que em Março de 2009 era citada, assim: “Como já vem sendo tradição, para festejar o "DIA do PAI ", os "Josés" de Vilar de Ferreiros e demais freguesias vizinhas reúnem-se anualmente no dia 19 de Março à volta de uma celebração Eucarística que tem lugar na capela do Fojo e cujo patrono é São José”. Deixa trabalho feito que vai perpetuar seu nome na memoria das gerações actuais, como se prolongará de geração em geração neste freguesia e nas demais onde o seu múnus e zelo sacerdotal se fez sentir. Gastou-se ao serviço da Igreja e das almas, motivo que por ocasião do seu ultimo aniversário natalício anotei: “Com 58 anos de sacerdócio vividos e postos ao serviço do concelho de Mondim de Basto, como pároco e agora capelão do Lar da Misericórdia, o abade Guedes é por direito não filho adoptivo, mas um mondinense de corpo e alma. Pelo seu aniversário natalício, os meus parabéns e votos de um 04 de Julho para repetir”. Não foi assim que Deus determinou, antes o quis junto de Si. Com certeza que lá o tem muito feliz.

vil 019.JPG

Natural de Torgueda (Vila Real), onde nasceu a 04 de Julho de 1932, o padre Manuel Joaquim Correia Guedes foi ordenado sacerdote a 21 de Setembro de 1957. Durante todo esse seu múnus sacerdotal foi gasto ao serviço do concelho de Mondim de Basto, que amava como terra sua, e de forma particular a freguesia de Vilar de Ferreiros, sua terra adoptiva, onde faleceu no passado dia 03. Não se importaria nada se os seus restos mortais ali fossem sepultados. Mas a família, e bem, quis leva-lo a sepultar na terra onde repousam os seus antepassados. Torgueda merece essa honra. No dia 04, após a missa de corpo presente, às 14h30, presidida por D. Amândio Tomás, e que cerca de 30 sacerdotes concelebraram, o cortejo fúnebre partiu pelo Bilhó, capela de São José do Fojo, Ermelo e Campeã, em direcção a Torgueda. Esta foi para mim, uma das muitas vezes em que me desloquei à minha aldeia natal e que regressei sem sustentar e fortalecer com palavras aquela amizade que mutuamente nos unia. Não faltei no momento doloroso e ao regressar desta ultima visita que a nossa amizade solicitou prometo que jamais deixarei de diariamente o recordar a Nossa Senhora da Graça”. Recortes duma eterna amizade.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:27


Um amigo que partiu

por aquimetem, em 04.01.16

 

vil 004.JPG

Nesta igreja celebrou o saudoso abade Guedes incontáveis eucaristias e deu do Evangelho ensinamentos frutuosos a uma comunidade que durante décadas pastoreou com dedicação e muito zelo sacerdotal e humanista. Aqui se festejaram as suas Bodas de Ouro sacerdotais que ocorreram a 21 de Setembro de 2007.

Bodas de Aniversário do PADRE MANUEL GUEDES 135.j

Como hoje, fui então de Lisboa, em representação de um grupo da diáspora vilar-ferreirense, tomar parte no que foi essa prova de estima de que gozava o nosso “Gigante com coração de pomba”, cognome pelo qual era também conhecido o Padre Guedes, de Vilar ou da Senhora da Graça; não apenas na freguesia, como em toda a região de Basto e fora dela. Embora seu paroquiano da diáspora, a ele fiquei muito ligado pessoalmente desde que deu entrada na paróquia de São Pedro de Vilar de Ferreiros, vindo das então freguesias de Pardelhas e Campanhó que foram as primeiras que após a sua ordenação serviu durante quatro anos.

vil 006.JPG

Natural de Torgueda (Vila Real), onde nasceu a 04 de Julho de 1932, o padre Manuel Joaquim Correia Guedes foi ordenado sacerdote a 21 de Setembro de 1957. Durante todo esse seu múnus sacerdotal foi gasto ao serviço do concelho de Mondim de Basto, que amava como terra sua, e de forma particular a freguesia de Vilar de Ferreiros, sua terra adoptiva, onde faleceu no passado dia 03. Não se importaria nada se os seus restos mortais ali fossem sepultados. Mas a família, e bem, quis leva-lo a sepultar na terra onde repousam os seus antepassados. Torgueda merece essa honra.

vil 020.JPG

 Após a missa de corpo presente, às 14h30, presidida por D. Amândio Tomás, e que cerca de 30 sacerdotes concelebraram, o cortejo fúnebre partiu pelo Bilhó, capela de São José do Fojo, Ermelo e Campeã, em direcção a Torgueda. Esta foi para mim, uma das muitas vezes em que me desloquei à minha aldeia natal e que regressei sem sustentar e fortalecer com palavas aquela amizade que mutuamente nos unia. Não faltei no momento doloroso e ao regressar desta ultima visita que a nossa amizade solicitou prometo que jamais deixarei de diariamente o recordar a Nossa Senhora da Graça.

 Vídeo em que se vê o interior da igreja de São Pedro de Vilar de Ferreiros e ouve D. Amândio no elogio fúnebre a Sr. Padre Guedes,

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:45


Lindo de ver

por aquimetem, em 04.01.16

Fotos 439.jpg

As festividades natalicias começam com o inicio do Advento e prolongam-se até à festa do Baptismo do Senhor, que é o domingo a seguir ao Dia de Reis ou da Epifania do Senhor. Neste lapso, além do epicentro das festividades, que é a Noite e o Dia de Natal, 25 de Dezembro, temos a Festa da Familia, no domingo, a seguir ao Natal e logo, no 1º de Janeiro, a Solenidade da Virgem Santa Maria, Mãe de Jesus, e Dia Mundial da Paz. Lapso, recente, que entretanto já passou e nos deixou caminho aberto para continuar a gozar da vida que é um dom de Deus, e dos bons momentos que em familia e em sociedades sabemos viver e partilhar.

003.JPG

Com missa, seguida do “beijar o Menino” junto ao muito divulgado Presépio que o Grupo Alfa com engenho e arte montou, dá gosto ver a comunidade bajouquense tomar parte nestes actos religiosos e culturais que tanto enobressem a capital do barro leiriense. Presidiu à celebração eucaristica o administrador paroquial, sr. padre Baptista, coadjuvado pelo vigario-paroquial, sr. padre Melquiades, e o ex-paroco Sr. Padre Abel, com muito sacrificio.

006.JPG

Na Bajouca (Leiria) é tradição fazer a Festa do Menino Jesus, à volta do “dia de reis”, 06 de Janeiro, que este ano calhou no dia 03. Festa muito simples, mas festejada com muita ternura e fervor cristão.

009.JPG

012.JPG

015.JPG

Com a missa ás 14h00, a seguir foi o “beijar o Menino” junto ao muito divulgado Presépio que o Grupo Alfa com engenho e arte, montou. Dá gosto ver a comunidade bajouquense tomar parte nestes actos religiosos e culturais que tanto enobressem a capital do barro leiriense.

026.JPG

025.JPG

Lindo de ver, tão belo presépio ao vivo e depois no Salão Paroquial, o encerramento da jornada com leilão das ofertas ao Deus Menino e o concerto musical pela Filarmónica de Santo Aleixo sob regencia do dedicado maestro Nelson Arneiro Caetano. Repito, lindo de ver.

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00

Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D