Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Memória da Luz

por aquimetem, em 30.09.14

         A feira da Luz surgiu por alturas em que tiveram inicio as festividades em honra de NS da Luz e à volta dessa devoção, que começa com o aparecimento duma pequena imagem em madeira na Fonte do Machado, em 1463. Começando por vender objectos religiosos e produtos agrícolas, à medida que a fama da festividade aumentava também a feira ia cativando comerciantes com bancas de comes e bebes, louças, cestaria, e até feira de gado chegou a ser quinzenalmente

 

           Todavia a feira anual foi sempre o ponto forte dos comerciantes de cavalos e de gado vacum. Inicialmente não era como agora durante todo o mês de Setembro, mas apenas 3 dias. Passar de 3 para 5 dias ficou a dever-se ao tempo em que Belém foi Município e a freguesia de Carnide lhe pertencia. E determinou: 08 e 11, mercado de gado; e os restantes para comercialização de outros produtos

          Ontem mais que hoje o Largo da Luz ficava apinhado de barracas e animado com manifestações populares e competições desportivas, teatro de rua e fantoches, que os famosos petiscos, com destaque para as farturas, davam alegria, cor e sabor aos da casa e aos forasteiros. Muitos aproveitavam para fazer piqueniques ao longo das estradas da Pontinha, da Correia e do Poço do Chão, vias que as modernas similares em parte já mutilaram. 

         Já sem aquele tradicionalismo que lhe deu fama, em vez dos carros de tracção animal, das bestas, dos cestos à cabeça ou as costas carregados com mercadoria, hoje são as roulottes das farturas, as barracas, onde se vende de todo o tipo de artigos,  a dominar o certame. Do mesmo modo os jogos populares, as provas desportivas, o teatro de rua e os fantoches que neste mês de Setembro animavam o Largo da Luz, passou a ser palco de música moderna e artistas da nova vaga.

           Este ano pela primeira vez a organização da feira esteve a cargo da Junta de Freguesia, o programa muito musicado estava bem preenchido. Mas quanto a mim muito pobre no apoio à parte religiosa, uma vez que fazendo 550 anos o santuário que dá nome ao certame, merecia mais visibilidade autárquica e até militar, como ainda não há muito era costume acontecer. A Igreja dispensa folclore, mas da parte dos políticos dispensar um bocadinho do seu para estas causas nobres não fica nada mal.

          Se foi vantajoso para Carnide esta transferência de organização só os intervenientes no processo sabem. Que o tempo chuvoso que se fez sentir neste mês de Setembro não deve ter ajudado à festa quase todos nós demos conta disso. Mas houve novidade e esta de comboio para mostrar a Zona Histórica de Carnide, merece louvor. Encerro com noticia transcrita do PUBLICO:

         “Para as crianças, existiu um espaço mais alargado com carrosséis, e os pais puderam usar o comboio turístico para percorrer a feira e o centro histórico de Carnide. Outra novidade foi  o Mercado de Arte de Carnide, instalado no interior do jardim, onde os pequenos artesãos puderam vender os seus artigos”. Que se não perca a memória da Luz

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:44


Há 550 anos

por aquimetem, em 29.09.14

         Como em post do passado dia 06 noticiei, a Procissão de NS da Luz realizou-se ontem, dia 28, e como se esperava e é tradição  muito concorrida e animada. Antecipada de Missa Solene, presidida por D. José Augusto Traquina que decorreu no Santuário da Luz, às 15h00; no fim, a Procissão saiu  pelo trajecto anunciado, onde centenas de fieis devotos de Nossa Senhora da Luz se incorporaram.  

 

         Aqui ao deixar a Estrada da Correia e entrar no Largo do Malvar, paredes meias com a antiga igreja de São Lourenço, os andores do Padroeiro de Carnide  e o de São Francisco de Assis tomam a dianteira em honra de Nossa Senhora.

         Para quem quis aproveitar missa dominical da parte de manhã o Sr. Padre Frei José António, pároco de Carnide, celebrou às 09h30 na igreja de São Lourenço. Fui dos que aproveitei.

 

           Já na Rua da Fonte, de regresso ao santuário, os passeios estão cheios de devotos que não puderam ou não quiseram acompanhar a Procissão. Eu também só a partir do Largo do Malvar é que nela me integrei. Pecado meu.

           Uma vez que a Feira da Luz anda associada a esta festividade mariana, a Procissão no regresso dá a volta ao recinto da feira antes de entrar na igreja. Aqui vai a cauda e eu no meio.

           E às 17H30 Nossa Senhora estava à porta da sua ermida, onde mora há 550 anos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:01


Alma e coração

por aquimetem, em 28.09.14

           Não fui, mas acompanhei e vibrei de satisfação como se lá estivesse. Sobretudo hoje que acompanhei a Eucaristia de acção de graças transmitido por site do Opus Dei e que decorreu no mesmo lugar onde ontem foi beatificado D. Álvaro.

         Presidiu o prelado, D. Javier Echevaria que agradeceu a presença dos milhares de fieis da Prelatura que de todos os continentes se deslocaram a Madrid para manifestar a sua amizade e gratidão a D. Álvaro, exemplo de fidelidade e de serviço às almas e à Igreja. 

 

         A chuva não impediu a afluência de amigos e admiradores das virtudes do novo beato da Igreja Católica a se deslocarem a Valdebebas, e como já anteriormente disse, pena tive de não apanhar este fim  de semana uma boa molhadela em Madrid. 

 

           Fica o registo em post, e deixo associado á data em que se celebrou os 550 anos do Santuário de NS da Luz, em Carnide (Lisboa). Fui lá. Os fieis do Opus Dei, além do mais, também são marianos de alma e coração 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:10


Feira de São Miguel

por aquimetem, em 27.09.14

         Vou muito a terras de Leiria, mas pouco a Leiria. Agora com a A17 deixei de passar por perto da cidade, sempre que vou de visita à capital do barro leiriense. A "rainha do Lis" só mesmo quando a deslocação se justifica é que me leva até lá e nesse caso a tomar um cafezinho e calhando acompanhado  duma "brisa do lis".

          Na 3ª-feira, dia 23, foi um desses dias, que no entanto não se alargou, visto que me fiquei apenas pela Av. Bernardo Pimenta. Fui de "pendura" com um amigo que para manter a linha faz ginastica e natação, e fez gosto convidar-me a ver se conseguia convencer-me a seguir o seu exemplo. Só pela distância antes queria dar uma volta ao redor da Bajouca que fazer quase 50km. de carro. 

          Mas foi um passeio proveitoso que me deu ocasião de ver e apreciar as Piscinas Municipais de Leiria, bem mais aproveitadas e úteis do que o seu vizinho Estádio futebolístico.

          Muito bem organizada e ao serviço da comunidade leiriense, a Associação Desportiva Cultural e Recreativa do Bairro dos Anjos é uma instituição digna de louvor e exemplo para outras suas similares.Enquanto o meu amigo, que se vê de costas a dançar com as madames, fez o tratamento fiquei nas bancadas da piscina, a ver os dançarinos pela montra e alguns nadadores no banho.

          No fim foi o regresso a casa, mas com um cafezinho servido no bar da Associação, onde conheci uma  senhora que neste fim de semana foi visitar Cabeceiras de Basto, para ver a feira de São Miguel. É bom ter bons vizinhos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:12


Em espírito e oração

por aquimetem, em 26.09.14

          Esta foi a pagela que correu mundo a pedir oração, para que chegasse a hora em que a Igreja reconhecesse a intercessão de D. Alvaro del Portillo junto do Senhor, e um milagre acontecesse.  A partir de amanhã, dia 27, o ainda hoje venerável servo de Deus, passa a ter honras de altar, pois será beatificado em Madrid, em cerimónia presidida pelo Cardeal Ângelo Amato. Neste e noutros eventos de carácter espiritual se vê a força e os segredos do Opus Dei: Oração e trabalho bem feito. Não são os membros do Opus Deis melhores ou piores que os demais fieis cristãos e filhos da Igreja Católica Apostólica Romana, são, talvez sim, pessoas que quando pegam numa tarefa é para levar a cabo. Tenho muita pena de não estar amanha em Valdebebas, mas o Beato Álvaro del Portillo, sabe que estou lá em espírito e oração. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:09


Hei-de experimentar

por aquimetem, em 25.09.14

           No domingo, dia 21, foi com o Sr. Padre Abel ver o mar do Pedrógão, já lá tinha estado na 6ªfeira com o meu cunhado Manuel que desceu de Vila Real e fez questão visitar esta praia sua conhecida. Que contraste! Na 6ª-feira parecia um deserto sem vivalma no paredão e mesmo para lanchar tivemos que ir a Bajanca, onde nesse dia ele tinha almoçado. Em contrapartida no domingo quase parecia um dia de Agosto, com as esplanadas cheias de visitantes, a praia com muita gente e até o barco foi ao mar, para dar uma demonstração de arte-xávega a quem quis ver e comprar peixe. 

          Da esplanada do Restaurante "A Rocha" tirei esta foto que não se vê bem, mas deixa perceber a presença de banhistas e lá mais além o trator preparado para puxar a rede que o barco largou no mar.

          Cafezinho tomado há que regressar a casa, mas passando pela Vieira e aproveitar para levar carapau seco que as peixeira da terra ali comercializam todos os dias. Acompanhei a D. Rosa e fiquei admirado com o jeito que tem para dar a volta às peixeiras. Pára nesta banca, para daquela e como todas as peixeiras querem vender, ela aproveita-se da concorrência. Foi esta banca quem venceu....

          E negócio feito, foi só meter no saco, atravessar a rua e arrancar direito à Bajouca. Dizem que temperados com alho e assados na brasa são um petisco de chorar por mais. Não sei, mas numa próxima ocasião hei-de experimentar. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:38


Marcha lenta.....

por aquimetem, em 24.09.14

         Do meu amigo Dr. Artur Monteiro do Couto, um barrosão daqueles que dá cartas onde quer que viva ou se mostre presente, recebi a seu tempo uma mensagem em que dizia: “Brevemente falaremos pessoalmente. O seu livro já chegou ao Brasil? Lá gostam muito da Senhora da Graça…..Tanto como os de Mondim de Basto”. Não sei se respondi porque, não tenho por habito responder a mensagens que recebo via Chat, fora do momento em que ambos os interlocutores estão em linha. Que foi uma boa observação foi, pois alheio ao empenho que a Editora e a Distribuidora encarregadas de comercializar o opúsculo tem feito, nada posso adiantar. Que já alguém no Rio de Janeiro e no Estado de Paraná com muito apreço o leu fui a seu tempo informado de lá. Mas tiveram que o encomendar, pois nas livrarias não constava em deposito, o que me não admira pois o mesmo se verifica em Leiria, e noutras localidades que por constarem mencionadas no texto era de dar a saber. Continuamos a ser um país velho de mentalidades enfraquecidas, onde a dinâmica só se nota no arranque, depois avança em marcha lenta....Também ser para medir o apreço e amizade dos amigos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:43


Já se não perdem....

por aquimetem, em 22.09.14

          Com toques destes dá gosto acordar. Eram cerca das 09h00 da manhã, deste dia 22 de Setembro, quando despertado pelo toque do telemóvel acordei, pois como tinha deixado de véspera o trabalho feito para hoje, não tinha pressa de me levantar cedo. Era um casal de conterrâneos que de regresso à terra, depois de um fim de semana a visitar familiares em Lisboa e Torres Vedras, ao viajar pela A17 resolveu sair na saída nº 4 e fazer-me uma surpresa.  

 

          Foi aquilo a que se chama "visita de médico" que nem tempo deu para ir além da Bajouca Centro. Um cafezinho no Sousa, uma visita à igreja paroquial, e adeus Santo Aleixo da Bajouca que se faz tarde. Mas feita a visita de reconhecimento, o caminho está aberto e doravante o Mário Borges e a D. Graça numa próxima oportunidade hão-de aparecer com tempo e vagar para visitar a capital do barro leiriense. Já se não perdem para cá chegar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:45


Honra lhe seja prestada

por aquimetem, em 22.09.14

          A sã competitividade faz parte do espírito desta laboriosa e bairrista população de São Pedro de Vilar de Ferreiros, facto que deu origem a que após surgir na freguesia uma associação cultural apostada na divulgação do nosso folclore regional, logo a aldeia sede da autarquia cria também em Vilar uma associação similar que oficializou e vi pela primeira vez actuar em Odivelas, junto ao mosteiro de Cister, em meados de Junho de 2007.

          Confiado á responsabilidade do seu apresentador, o empenhado vilar-ferreirense Manuel Minhoto, esta associação cultural vem desempenhando um importante papel na formação de novos elementos que dêem continuidade à manutenção do rancho e defesa da cultura popular que no folclore e na etnografia se conserva. Daquele primeiro encontro que tive com este agrupamento da aldeia, onde nasci, escrevi então: "O Rancho Folclórico e Juvenil de Vilar de Ferreiros é de fundação recente, mas no entanto já conquistou a simpatia e admiração de muitos similares seus, que de norte a sul não cessam de lhe rasgar elogios e formular convites para participar em festas e festivais. Hoje foi a vez de corresponder à solicitação do Rancho Folclórico Os Camponeses de Odivelas, que ao promover o seu festival de folclore anual fez reunir no Largo de D. Dinis um bom número de agrupamentos nacionais, e representativos de diversas zonas do País, como, por exemplo, Arganil, Santarém e Mondim de Basto". Honra lhe seja prestada.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:54


Verdadeiro Apostolo

por aquimetem, em 21.09.14

 

          Ontem, dia 20, mais uma vez a Bajouca teve a honrosa visita do Bispo diocesano, D. António Marto que veio administrar o sacramento do Crisma a quase meia centena (48) de jovens fieis cristãos da paróquia de Santo Elias de Carnide e de Santo Aleixo da Bajouca cujo pároco das mesmas é o Sr. padre Abel José da Silva Santos, tendo como vigário paroquial, o Sr Padre Melquiades. Flaviense por nascimento e por consequência herdeiro dos valores morais e espirituais que caracterizam o povo transmontano, D. António ganhou a amizade e admiração de todos os diocesanos seus, mas em particular a simpatia dos mais jovens que ele também com muita ternura faz frutificar. Calhei, de neste fim de semana, estar na capital do barro leiriense, e portanto seria negar o genuíno sentimento regional se não fosse pedir vénia para beijar o anel de tão virtuoso co-provinciano meu. Além de que conhece muito bem a minha aldeia, pois já pregou na Senhora da Graça (Monte Farinha), por isso lhe fiz oferta do meu opúsculo " Nossa Senhora da Graça - Na fé dos mareantes". Natural de Chaves (Tronco), onde nasceu a 05/05/1947, D. António Marto foi ordenado presbítero a 07/11/ 1971, e bispo a 11/02/2001. Depois de passar por auxiliar de Braga, e de Bispo de Viseu é nomeado Bispo de Leiria/Fátima, em 2006, dando entrada na Diocese no dia 24 de Junho. Da sua entrada solene na catedral leiriense, no dia seguinte, a 25 de Junho, consta realçado: “Foi com intensa emoção que cheguei à catedral (de Leiria) e me ajoelhei, à entrada para beijar as pedras deste templo. O templo é sinal da comunhão dos crentes unidos pela presença de Deus que mora no meio do Seu povo. A Ele, Deus santo, no Seu Amor trinitário, dou hoje glória e louvor no limiar desta catedral". Emoção também eu sinto quando vejo um transmontano brilhar e sobretudo ao ver um filho de Deus servir de alma e coração a causa com que se comprometeu servir como verdadeiro apostolo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/3



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D