Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




02 de Agosto/15

por aquimetem, em 02.08.15

001qzt1h.jpg

(O monte Farinha visto do lado sul)

Encarrapitada desde as cimalhas dos montes de Ventozelos, da Tontuça, do Toumilo, e do Fragão de São Paulo, pela Bouça da Isabel ao Coto de Campos, a freguesia de Vilar de Ferreiros, continua dali, pelo centro da aldeia de Campos, em ascensão até ao cimo do Monte Farinha (Nossa Senhora da Graça), local que mereceu de Torga este honroso comentário: “Empoleirado neste miradoiro, solto os olhos por metade de Portugal. Montes, rios e vales edénicos, genesíacos, como que acabados de sair das mãos do Criador. A natureza na sua primitiva decência, desabitada, limpa de toda a mácula humana. Nem sequer tocada pelo pasmo de quem a contempla”. Percebe-se que foi anos antes das “pedreiras” terem ganho aqui o estatuto demolidor da paisagem e do património granítico de toda a “montanha sagrada” que o autor de Bichos fez tal apreciação. Desta “montanha sagrada” a Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira faz saber que os cumes desta pequena serra estão coroados com “largos cordões de pedra em montão, ruínas de muros antiquíssimos, que a tradição local diz serem obras de mouros”. Bebeu em boa fonte que foi o Padre Augusto Ferreira, responsável pelo três últimos volumes do dicionário Portugal Antigo e Moderno, de Pinho Leal. Nasceu, em Corvaceira, freguesia de Penajóia, a 14 de Novembro de 1833, e faleceu no Porto, a 17 de Junho de 1913.

HPIM0616.JPG

(Neste quarteirão urbanístico viveu, e ainda vivem parentes do Padre Rodrigues de Morais)

 Foi durante 49 anos, até à morte, pároco de Miragaia, embora antes tivesse sido apresentado e colado da abadia  de Távora; como primeiro havia sido examinador prosinodal e professor do seminário de Lamego, onde concluiu o curso do seminário em 1850. Em 1856 formou-se em Teologia na Universidade de Coimbra e chegou a exercer as funções de Vigário Geral da sua diocese (Lamego)

Colocado na igreja de Miragaia ,em 1864, colaborou com Pinho Leal  na publicação de: "Maria Coroada ou cisma da Granja de Tedo", 1879, que é a história de um célebre pseudo-hermafrodita, António ou Antónia  Custódio  das Neves , que depois faleceu no incêndio do Teatro Baquet.

Depois da morte de Pinho Leal, em 1884, ficou interrompida a publicação do dicionário "Portugal Antigo e Moderno", que ia no Tombo X e no artigo Viana-do- Castelo.

O Abade de Miragaia, padre Pedro Augusto Ferreira, que fora um dos seus colaboradores, foi convidado  continuar a  obra, publicando-se assim o final do tomo X e os tomos XI e XII. Era sócio da Associação dos Arquitectos e Arqueólogos Portugueses e “Sociedade Camoniana".  A freguesia de Vilar de Ferreiros teve no Abade de Miragaia um dos mais notáveis historiadores que dela se ocuparam. Era amigo pessoal do padre Rodrigues de Morais, a quem também muito deve a nossa freguesia. Por os pontos nos “ii”; em dia de  mais uma subida à Senhora da Graça da Volta a Portugal em Bicicleta, em 02 de Agosto/15

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:03


Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D